Chat


Get your own Chat Box! Go Large!
Tenham bom senso e responsabilidade com o que está sendo dito, com bom uso e principalmente, tendo em mente que TODOS deverão ser respeitados em suas diferenças, inclusive de opinião. Assim, nenhum usuário precisará ser bloqueado. O conteúdo da conversa, deve ser relacionado aos temas do blog.
É proibido o uso de nicks com nomes de Entidades, Cargos do Tipo Pai, Mãe, Ogan etc. ou Orixás, ou nicks considerados como insultuosos ou ofensivos.
É proibido insultar ou ofender qualquer utilizador deste chat. Respeite para ser respeitado.
Não informe dados pessoais na sala de chat, tais como E-mail,
Nº de telefone.
Esse tipo de informação deve ser em conversa privada com o membro, pois o Blog não se responsabiliza por quaisquer dano e/ou prejuízo.
Ao menos uma vez por semana, estarei presente e online para quem quiser conversar, compartilhar algo e/ou trocar idéias.

sábado, 30 de junho de 2012

Trailer filme "E a Vida Continua" exibido no 6º Congresso Espírita Mundial

Em agosto, deverá estrear nos cinemas brasileiros, o filme “E a Vida Continua”. A película, que tem como um de seus diretores o cineasta Oceano Vieira de Melo, é baseada no livro homônimo, ditado pelo Espírito André Luiz e psicografado pelo médium Francisco Cândido Xavier.
Confira a exibição do trailer do filme, durante o 6º Congresso Espírita Mundial, em Valência, na Espanha.



Isso é a Lei e assim é EXU!

Exu é ativador de nossos merecimentos. É o que propicia nossas vitórias e nossas derrotas, pois nem sempre sabemos lidar com a vaidade, o ego, o egoísmo e a soberbia que aflora de forma acentuada quando se conquista algo ou alguém. Exu é quem abre nossos caminhos, mas também fecha, tranca e acorrenta nossa vida quando nos encontramos desequilibrados e viciados numa maldade e numa possessão sem fim. Isso é a Lei e assim é EXU!
Exu é a força que atua sobre o negativo de qualquer pessoa tentando equilibrar essa ação. É aquele que faz o erro virar acerto e o acerto virar o erro. É aquele que escreve reto em linhas tortas, escreve torto em linhas retas e escreve torto em linhas tortas.
Mesmo nos momentos em que nos vemos no meio do caos, Exu sabe fazer com que a ordem prevaleça. Exu não gosta de displicência e de injustiça, não aceita nada mais e nada menos do que lhe é de direito e de dever.

EXU VINGA-SE POR CAUSA DE EBÓ FEITO COM DISPLICÊNCIA
Alumã era um lavrador que precisava de chuvas, pois seus campos estavam secos e a plantação toda ia se perder. Alumã ofereceu um ebó para Exu mandar chuva. Ofereceu a Exu pedaços de carne de bode.
Como a comida estava muito apimentada, Exu ficou com muita sede.
Exu procurava água para matar a sede implacável, mas água não havia, estava tudo seco no lugar. Exu então abriu a torneira da chuva. Ela jorrou como nunca, fazendo com que o povo se regozijasse com Alumã. As colheitas estavam salvas!
Mas a chuva não cessou.
Alumã percebeu dias depois que já bastava de chuva. Já chovera em excesso e as colheitas corriam perigo, agora era água em demasia; uma inundação.
Alumã tornou a oferecer a Exu carne de bode, mas agora cuidou que a pimenta estivesse no ponto certo. Exu aceitou o ebó e estancou a chuva. Exu é justo, cantou Alumã.
Reginaldo Prandi do livro “Mitologia dos Orixás”

Exu não faz, não participa e não orienta nenhum tipo de magia negativa, Exu é Mago Realizador por excelência, e conhece absolutamente tudo sobre magia. No entanto, conhece também a Lei Divina e a cumpre com perfeição a cada momento. Magia negativa é ação do homem que deseja mais do que pode, deve e merece. Exu dá e faz somente aquilo que for de merecimento e de necessidade para o Ser, segundo a Lei Divina.
EXU, palavra iorubá (Èsù) pode ser traduzida como “esfera” representando o infinito, o que não tem começo nem fim e que está em todos os lugares, no Tudo e no Nada.
Ele é o “mensageiro”, recebe e leva os pedidos e as oferendas dos seres humanos ao Orum, o céu. É o Senhor dos caminhos, das encruzilhadas, da entrada e da saída. É o movimento inicial e dinâmico que leva à propulsão, ao crescimento e à multiplicação.
São espíritos iluminados que, de forma muito peculiar, conhecem nosso íntimo e nossa conduta muito mais que nós mesmos.
  • Exus do Cemitério normalmente têm a regência de Omulu, são quietos, de pouca fala e reservados. São exigentes e trabalham muito nos descarregos fortes, desmanches de demandas antigas e conscientização da vida humana.
  • Exus da Encruzilhada normalmente têm a regência de Ogum. Não são tão quietos com os de cemitérios, mas são extremamente valentes, exigentes e duros. Trabalham muito na abertura de caminhos, na quebra de demanda e em situações que precisam urgentemente de mudança.
  • Exus da Estrada /rua normalmente têm a regência de Oxóssi. São mais falantes, brincalhões e risonhos, no entanto exigem a verdade de seus fieis conhecendo a intenção de uma palavra e de um pedido mesmo que eles estejam em pensamento.
Seu dia da semana é Segunda feira dia propício para magias e rituais que invoquem paz, fertilidade, harmonia e meditação. De energia lunar o dia favorece novos começos e confere poder.
Suas contas são pretas (neutraliza/absorve) e vermelhas (ativa/irradia), reafirmando a energia da contradição de Exu.
Algumas representações são: o FALO – representa a fertilidade da vida, o poder sexual, reprodutivo e gerativo. Nas “religiões da natureza”, o sexo é um ato sagrado. E se ele é sagrado, seus frutos também são. A noção de pecado original seria uma aberração nesse sistema religioso; além disso, um dos ideais do estilo de vida iorubano era ter uma família numerosa e, portanto, o culto a Exú fazia-se essencial; o TRIDENTE – tradicionalmente divino para várias culturas e deuses como, por exemplo, Netuno, Posseidon, Shiva. Tridente representa a trindade; o alto, o meio e o embaixo; Céu, Mar e Terra; Luz, sombra e trevas; o CHIFRE – Representa fertilidade, vitalidade, sabedoria e a ligação com as energias do Cosmo. Símbolo de realeza, divindade, fartura, honra e respeito, muitos Deuses antigos como Cornífero, Baco, Pã, Dionísio e Quiron foram representados com chifres que também eram usados pelo homem que saia em busca de caça e que ao retornar à sua tribo colocava os chifres do animal capturado com a finalidade de mostrar a todos que ele venceu os obstáculos. Há dois tipos de chifres: Chifre de boi – voltado para cima, está ligado ao poder da Lua, da noite com sua fertilidade; atribuído à energia do feminino. Chifre de carneiro – geralmente recurvado e que está ligado ao poder do Sol criador da vida; atribuído à energia do masculino; o OGÓ – bastão com cabaças de Exu que representa o falo. Espécie de cetro mágico com que ele se transporta aos lugares mais longínquos. Do ioruba ògo significa “porrete usado para defesa pessoal”; e a ENCRUZILHADA – cruzamento vibratório que representa a dualidade, a escolha, as possibilidades e o livre arbítrio.
E para encerrar e ainda completar o pensamento de sobre encruzilhada, segue uma mensagem do Sr. Exu Caveira para refletir e despertar um novo futuro, um novo fim e, quem sabe, um novo começo.
 “O projeto de vida que desenvolveis neste plano terreno é o espelho daquilo que te aguarda do outro lado. Sejas fiel aos bons costumes e às boas ações que te aguardo para um plano de evolução, sejas maldoso e pústula que também te aguardarei para um plano destinado a ti.
Sois o que pensas e mudas o que queres, abre teu olho e o teu coração enquanto é tempo e pense bem antes de usar o nome EXU, pois ai daquele que usa meu nome em vão.”
EXU CAVEIRA
Através de Pai Marco Caraccio em 30/08/2009

sexta-feira, 29 de junho de 2012

Sobre correr a Gira

Algumas vezes na vida nós sentimos que está na hora de seguir em frente. Na maioria das vezes é uma decisão difícil, nos faz remexer em estruturas muitas vezes sólidas, mudar rotinas, sair da nossa zona de conforto. É muito difícil, às vezes traumático e nem sempre bom em curto prazo. Mas a vida chama e temos que ir adiante.
E como agir quando isso acontece no terreiro?

Sim, isso acontece. Algumas vezes ficamos anos em um determinado centro, trabalhamos, adoramos o lugar. Mas aí, de repente e sem aviso, sentimos um incômodo. E esse incômodo vai ganhando forma, aumentando de intensidade até que pensamos: é hora de levantar âncora.


Bom… Acredito que o primeiro pensamento tem que ser: Por que estou assim?


Pode ser besteira de nossa parte. Pode ser uma simples situação que se resolve em um conversa sincera. Um mal entendido, uma falta de atenção… Algo bobo. Mas no geral, o pensamento é: hora de visitar outras casas.


Cada centro tem uma política com relação a isso. E é muito certo que seja assim. Visitar outras casas pode ter seu risco com relação ao médium e seu campo mediúnico. A diferença energética de uma casa para outra pode influenciar de alguma forma o médium e isso pode dar trabalho depois. Não é por mal, é só uma diferença mesmo. Mas pode ser por mal também afinal, existe todo tipo de gente por aí. Por isso sempre recomendo: converse com seu dirigente antes. Avise. Só isso. Ele poderá te dar instruções de como agir melhor e pode ser que nessa conversa sua situação seja resolvida.


Mas digamos que não, você está decidido a visitar outras casas.


É comum que um médium, quando reconhecido como tal, seja convidado a entrar e “dar passagem” para seu Guia. Particularmente eu recomendo que o filho dê uma desculpa educada e recuse a oferta. E por um simples motivo: Seu Guia não tem o que fazer ali. Guia em terra é Guia trabalhando e seria um desperdício de tempo seu e de seu Guia essa incorporação. Muitas vezes, por educação, acabamos deixando que isso aconteça, porém isso realmente não tem muita função a não ser que o médium esteja em real desequilíbrio precisando ser reequilibrado e isso é uma coisa que você, médium, tem que saber reconhecer.


Aliás, outro protocolo muito educado para o médium que visita um terreiro é: identifique-se para o dirigente. Ou para um dos responsáveis pela casa. Procure alguém da casa e diga sua condição, diga que você é médium de outra casa em visita. Isso também ajudará o dirigente a tomar suas providências, seja te dando um tratamento diferenciado, seja somente cantando um ponto de boas vindas. É educado de sua parte, que conhece o rito, que já é frequentador, que já trabalha, se apresentar. Com certeza os médiuns mais atentos da casa saberão que você já é filho de outra casa, nós carregamos este estigma, mas não custa nada, não é?


Não vá visitar outra casa com um milhão de guias no pescoço. A função da Umbanda é ensinar, entre outras coisas, a humildade e usar todas as suas guias só será sinal de presunção. Sei que você pode pensar que muitas guias é igual a muita proteção, mas no final das contas, que tanta proteção você precisa naquele momento, já que você é que está indo atrás de outro centro? Seja humilde, coloque a guia de Oxalá no pescoço e vá sossegado.


Não pré-julgue o centro que você vai visitar em função do tempo de trabalho do dirigente em função do seu próprio tempo, por exemplo. Se você tem 80 “anos de santo” mas está atrás de ajuda, o que importa se quem está disposto a te ajudar tenha só 5 anos? Ele está disposto a te ajudar! Preste atenção nessa frase: Você está atrás de ajuda e encontrou alguém disposto a te ajudar. Aproveite! Não se prenda a essa situação mítica de que esse alguém tem que ser mais velho que você, porque você é que está procurando ajuda! Parece óbvio quando escrevo, mas é meio difícil algumas pessoas entenderem isso. Claro que entendo a tradição, mas mesmo assim isso me parece meio absurdo: É como você, com 80 anos de idade, 60 de carreira, não aceitar ajuda de um médico porque ele tem somente 20 anos de medicina. Muitas vezes esse médico está mais apto a te ajudar do que você mesmo, está mais “antenado nas novas tecnologias” ou nas novas teorias… ou simplesmente está mais disposto a te ajudar mesmo. Isso me soa tão arrogante que fico até meio bravo… rs… É tradição? Sim. Mas na hora do sufoco, o que importa?


Por que estou escrevendo tudo isso afinal de contas?


Porque com certeza você verá coisas diferentes quando iniciar essa busca. Algumas coisas te agradarão, outras não, mas o respeito deve SEMPRE existir. Você encontrará alguns terreiros sábios; que trabalham com muitas mirongas, ervas, receitas, flores, incorporações características e palavreado típico dos Guias; e também encontrará muitos terreiros eruditos, onde encontrará Guias mais independentes, que acendem seus próprios cigarros, ou se servem sozinhos, que te dirão sobre computadores, internet, celulares como coisas de seu dia a dia, onde não haverá tantas mirongas, tantos trabalhos, tantos palavreados característicos. Mas em nenhum momento poderá passar pela sua cabeça que isso é mais correto que aquilo, assim como não exemplifico os dois modelos de terreiro aqui com distinção de importância entre um e outro: se estão na Terra, se existem aqui, é porque têm que existir, cumprem um propósito maior que não conhecemos. Se eles possuem assistência, é porque fazem de alguma forma, o bem para quem visita, mesmo que não consigamos identificar, a priori, que bem é esse. E de nenhum modo esses terreiros serão melhores que o que você já frequenta, só serão diferentes no formato, não na essência.


Não trabalhe em dois lugares. Seja honesto consigo mesmo e, acima de tudo, seja leal. Se você deseja essa situação, comunique aos dois dirigentes e veja o que eles dizem. Fazer isso escondido é perigoso e vergonhoso para você.


Se você vai fazer algum curso de alguma coisa… bom, tenha em mente que cada casa trabalha de um jeito e se você não for maduro e centrado pra entender isso, esse curso só vai servir pra te deixar mais confuso ainda.


Ah! E não saia procurando outro terreiro igual ao que você já frequenta. Você não encontrará e, se o terreiro que você frequenta é bom pra você, porque você está saindo?


Mas sempre tenha em mente que cada casa é uma casa e os problemas estão muito mais em você do que nelas. Seja sincero consigo mesmo, sempre. E quando esse dia chegar, procure se acalmar e pensar, sem egoísmos, sem prepotência, o real motivo para seu incômodo. Só assim você conseguirá tomar uma boa decisão.


Nino Denani

quinta-feira, 28 de junho de 2012

A Fé que salva x As religiões que matam

É de suma importância diferenciar a fé e a ligação feita a Deus, das religiões. Fé é a expressão objetiva para uma realidade subjetiva e que transcende tudo aquilo que é palpável e material, ou seja, é sentir-se parte integrante de uma estrutura extra corpo e concreta que nos envolve. Não me refiro a crer, nem a acreditar em algo supostamente impalpável, falo de uma fé sentida, espontânea e natural. Um sentimento inerente, que integra e participa da vida de quem se lança a essa relação. Nada que se deseje, mecanicamente, ser verdadeiro, mas, sim, um fluxo essencial e voluntário que move para uma visão mais ampla a respeito da extensão e da finalidade do viver.

Na fé, não há a necessidade de nenhum tipo de luta para a imposição de conceitos ou ideias. Deus é a bússola e o referenciareferencial básico das reflexões e das constatações para as escolhas e a condução pelas estradas em que marcamos nossos passos. A fé não duvida, não é conveniente e nem se afasta. É presente e permanente, pois ela não deixa transparecer a negatividade e o peso das iniquidades. Ela dá a certeza da oportunidade e mostra os veículos para a transformação. A fé não é egoísta, descentralizando o endeusamento individual e a prepotência a um deslocamento coletivo onde a fraternidade e o amor imperam, sem nenhum tipo de expectativa sobre o retorno daqueles a quem se dedica.

A fé é caridosa, pois suplementa as falhas e as imperfeições pessoais, apontando diretrizes e preparando cada um para disseminarem entre seus semelhantes, possibilidades semelhantes experimentadas ao longo da vida. A fé não tem preço, nem mesmo bandeira de cartão de crédito. É infindável, inesgotável, uma fonte luminosa de alternativas e de escolhas para que a vive e repassa aos que estão à volta.

A fé congrega sem distinção, sequer questiona. Está sempre de braços abertos a todas as idades, credos, sexos, padrões econômicos. Seu único motivo é a união e a igualdade entre os homens. Por isso é aberta e flexibiliza diante do estágio evolutivo de cada semelhante. Não há radicalismos, absolutismos e autoritarismos. A fé é simplesmente amável, acolhedora e evolucionista. A fé é doutrinária do respeito, a si e ao outro, maior e principal emblema de religação a Deus, por essa razão cura, promove e salva.

As religiões são humanas, sem distinção. Lutam por uma verdade mentirosa e de forma impositora, opostamente, desrespeitando a capacidade de ver dos seguidores. São institucionalizadas, formalizadas e controladas por dogmas, ritos e mitos que prendem e selam. Pautam seus discursos em versos, capítulos, perguntas e mensagens, como se tudo isso junto, forma-se uma única verdade universal e condicionante para a salvação do planeta. Formam instituições financeiras de alta lucratividade, explorando fiéis com promessas, ilusões e materiais gráficos de auto ajuda. Lutam por territórios, tanto os geográficos como os filosóficos.

Ao invés de unificarem, segregam para formarem rebanhos. Dividem-se dentro de um mesmo princípio, onde uma doutrina quer ser melhor e mais destacada que a outra. Esquecem que o princípio é a paz e a harmonia. Constroem impérios e quando seus necessitados buscam algum tipo de ajuda, cerram suas portas para que não sejam perturbados ou incomodados. Não permitem a ampliação de informações e de conhecimentos, definindo-os como heresias para suas intenções.

Nossa história é pautada por guerras e perseguições de cunho religioso. Antes mesmo do Cristo isso já era um fato. Após as ações de Jesus, isso se reforçou em demasia. Atravessamos séculos sangrentos de combate e aniquilação da vida em nome da religião. Hoje, em pleno século XXI, terceiro milênio, o sangue ainda escorre em muitas nações e continentes em nome da guerra santa. Não é necessário atrelarmos as observações a fatos intensos, como ocorrem na Síria, no Irã ou outras regiões islâmicas. Basta ater-nos ao que as religiões provocam nos bairros, nas cidades e regiões próximas entre si e com a população em geral.

A massificação e a imponderabilidade forma sanções e prejuízos tão marcantes e negativos, quanto ações físicas diretas. O engessamento do pensamento das pessoas provoca uma morte filosófica muitas vezes irreparável. Deus não encarcera, não limita e não revela suas verdades em uma dose única. Caso contrário, não existiria o princípio da evolução muito menos a necessidade da reencarnação. Estaríamos todos prontos e sem razão, sem sentido.

Essas mesmas observações precisam ser canalizadas para as doutrinas e as filosofias espiritualistas. O Brasil, em específico, abre-se intensamente para o acolhimento da consciência das vidas múltiplas e da realidade etérica e esse fato é de grande significado para as mutações planetárias. Entretanto, percebe-se, nitidamente, confrontos similares nas posturas e nos entraves para a imposição de verdades de uma sobre as outras. Algumas se colocam como únicas e verdadeiras. Outras, como melhores. E há aquelas que não aceitam nada mais do que é descrito nas perguntas e nos capítulos repassados por alguns irmãos iluminados.

Meus irmãos, todos estamos na mesma luta e na busca equitativa de melhoria e equilíbrio. Isso é um fato, assim como a imensidão cósmica e a evolução coletiva e pessoal das almas. Logo, nada é estanque, paralisado e acabado nessa história. Vamos resgatar o amor, o respeito e a ponderação sobre as novas informações e as várias ações dos grupos espirituais. Com certeza isso colaborará e muito com a paz na Terra e nas esferas espirituais, sem matar as possibilidades e oportunidades que necessitam ser geradas.

fonte:Espiritismo e Umbanda na Apometria
autor: Clécio Carlos Gomes

quarta-feira, 27 de junho de 2012

Não dê ouvidos aos pessimistas


           Era uma vez uma corrida de... sapinhos. O objetivo era atingir o alto de uma grande torre. No local, uma multidão assistia. Muita gente para vibrar e torcer por eles. Começou a competição. Como a multidão, no fundo, não acreditava que os sapinhos pudessem alcançar o alto daquela torre, o que mais se ouvia era: “Que pena! Os sapinhos não vão conseguir. Não vão conseguir”. E os sapinhos começaram a desistir. Mas havia um sapinho que persistia e continuava a subida em busca do topo. A multidão continuava a gritar: “Ah que pena! Vocês não vão conseguir”. E os sapinhos iam mesmo desistindo, um por um, menos aquele outro, que continuava tranquilo, embora arfante.
            Até término da competição, todos já haviam desistido, menos ele. A curiosidade, então, tomou conta de todo mundo. Queriam saber o que tinha acontecido.
            E quando se reuniram em volta do sapinho vencedor para perguntar a ele como é que tinha concluído a prova, descobriram que ele era surdo.
 Todos os dias somos bombardeados por palavras vindas de pessoas negativas, dos jornais, das tvs,  não deixe que elas destruam seus sonhos, nem impeçam suas realizações, não deixe que abalem o teu caminho espiritual. Seja positivo. Fará bem a você e aos outros.  

terça-feira, 26 de junho de 2012

Magia


Quando falamos de Magia, precisamos em primeiro lugar recordar que no universo tudo é energia, a qual normalmente apresenta-se de duas formas, condensada ou dispersa.

Matéria é a energia condensada, e energia e o estado latente, livre ou primordial da matéria.

O nome magia carrega consigo muitos elementos que mistifica e o confere ares sensacionalistas ao termo, mas conceitualmente falando, quando queimamos um palito de fósforo, estamos fazendo magia, quando aquecemos a água para o chá também. Em resumo, sempre que modificamos os estados energéticos das coisas em geral, realizamos magia, que é a transformação ou a transmutação da energia. Entretanto, quando falamos de magia no campo das curas naturais, dos processos de elevação da alma e da descoberta dos potenciais latentes do ser humano, precisamos estar cientes de outros aspectos. Normalmente, no dia-a-dia, quando modulamos através de atitudes corriqueiras, matéria ou energia não faz conscientemente e nem desejamos através do foco mental que a força aflorada na magia, seja projetada sobre um objetivo, objeto, situação ou pessoa. Por isso, precisamos entender os processos que envolvem a magia e em especial, quais são os seus benefícios quando aplicados no campo do conhecimento e da evolução humana, nos aspectos físico, emocional, mental e espiritual. Os três elementos principais da magia são:



FOCO MENTAL + CONCENTRAÇÃO + INTENÇÃO



1) FOCO MENTAL é a capacidade que a pessoa tem de estabelecer um objetivo ou imagem mental, com riqueza de detalhes. Quanto mais detalhado estiver o contorno da imagem projetada melhor será o resultado da magia. Em outras palavras, maior será a sua precisão.

EXEMPLO:

Imagine que você tem um morango em suas mãos. Imagine com o máximo de precisão possível o seu tamanho, a sua cor, a sua textura, o seu peso e seus aspectos gerais. Perceba se ele está maduro ou não ou se o seu aroma está mais intenso ou mais suave. Também delineie todos os outros detalhes que forem possíveis fixar em sua mente. Uma vez que você contornar a imagem mental com todas essas características, o primeiro elemento da magia foi ativado.

2) A CONCENTRAÇÃO é necessária para que essa imagem detalhada mantenha-se estabelecida na mente do mago, sem que pensamentos impróprios abalem o seu foco mental. Quanto mais tempo o mago sustentar essa imagem ou matriz mental, maior será o poder de sua magia.

Nesse segundo elemento está um dos maiores desafios do Mago, o de dominar os pensamentos, eliminar a agitação mental e purificar os burburinhos internos. É nesse estágio que muita gente falha, porque é preciso bastante disciplina para dominar os pensamentos aleatórios que invadem a mente. A receita é uma só: treino, treino e treino.

Uma vez que a pessoa mantiver o foco mental com concentração, o segundo elemento da magia estará ativado.

EXEMPLO:

Agora que a imagem do morango, juntamente com todos os seus detalhes específicos, estiver desenhada em sua mente, sustente essa matriz mental o máximo de tempo possível, não permitindo que nenhum outro pensamento surja. Tudo que você deve fazer é manter a imagem detalhada do morango em sua mente. Quando a imagem oscila, a força da realização da magia enfraquece.

3) A INTENÇÃO é o combustível, pois sem ela, a matriz desenhada não se expande além dos limites da mente. É a intenção que determina a qualidade e a polaridade da energia produzida. Intenção positiva, limpa, amorosa, determinada, dá vida à magia Divina, que traz consigo elementos de cura, elevação, amparo, amor e iluminação. Além disso, é a intenção que materializa ou plasma no ambiente físico, as qualidades pretendidas da determinada magia. As confusões emocionais são como bactérias que infectam a magia, livre-se delas. Quando as emoções elevadas estiverem envolvendo o foco mental, então, o terceiro elemento da magia estará ativado.

EXEMPLO:

Enquanto concentra a mente na imagem detalhada do morango, sinta amor pela vida, gratidão por existir e boa intenção no objetivo da imagem projetada. Alegre-se, deixe sua alma fluir com leveza, contentamento e tranquilidade. Elimine agitação, medo, raiva, magoa ou angústia, pois essas emoções produzem a magia negra. É na condução desse terceiro elemento que o mago decide se dará vida a Magia Divina ou Magia Negra, por isso, cada um deve saber que é responsável pela magia que produz.

Quando o aprendiz de magia conhecer e dominar esses três principais elementos, então ele estará apto para produzir grandes ganhos pessoais e coletivos no sentido da cura, da elevação moral, do aumento da consciência, da expansão do amor, da ajuda ao próximo, da harmonização ambiental, entre tantos outros benefícios possíveis com o emprego da Magia Divina.

E nesse contexto, todo usuário consciente dos benefícios e possibilidades da magia, poderá se utilizar da força dos elementos da natureza para potencializar seus resultados.

Os elementos da natureza fornecem inúmeras vantagens que variam de acordo com a sua essência. A água, o ar, o fogo, a terra, o éter, as plantas, os cristais, os sons, todos eles têm a capacidade de sozinhos ou combinados, oferecer grandes potencialidades aos efeitos da magia. Sua utilização confere mais intensidade e precisão, pois são como amplificadores que aumentam o poder da magia, no sentido da sua força de realização, além disso, cada elemento natural é carregado com qualidades específicas de sua natureza, como exemplo: o fogo que purifica, transmuta e queima; a água que lava, faz fluir e arrefece; o vento que gera movimento, que desbloqueia; a terra que drena, filtra, gera estrutura e firmeza e o éter que é a substância não material que pode ser moldada ao gosto do mago e as plantas que atuam diretamente na mente e nas emoções de todos os seres, por isso são largamente empregada em processos de cura.

Por Bruno J. Gimenes

segunda-feira, 25 de junho de 2012

A Fórmula para ter um grande amor



Estamos aqui neste plano físico para experimentar e aceitar o dom da vida, das experiências e amar de verdade. Sendo assim, dentre vários desafios que enfrentamos nesta vida, os relacionamentos afetivos podem ser um dos maiores.

Constantemente escutamos que algumas pessoas têm o sonho de compartilhar com alguém, uma vida a dois. E acham que ter um parceiro ou parceira é a salvação para sanar suas carências, para romper barreiras como a de ter mais estabilidade material, ter mais prestígio, entre outros.

Claro que num relacionamento conseguimos alcançar muita coisa, principalmente quando encontramos um amor verdadeiro, alguém com quem podemos rumar em busca de evolução, conquistando tudo aquilo que queremos. Todavia, nós precisamos entender que um relacionamento serve para complementar uma felicidade que já existe. E quando digo “complementar” é porque não podemos completar algum sentimento que nos falta, nem saciar uma necessidade nossa, com outra pessoa. Muitos problemas de relacionamentos se dão pelo fato de projetarmos demais nossas carências no outro. Se não temos poder pessoal, nem autoestima suficientes para viver sozinhos, como poderemos encontrar isso em outro indivíduo?

Por isso, quando queremos encontrar um parceiro ou parceira, o primeiro passo é pedir a Deus, conversando com Ele e com nosso Eu Interior o que estamos buscando. Essas orações podem ajudar a pessoa a atrair alguém ou promover a união de um casal, ajudando a manifestar aquilo que melhorarão no relacionamento, tanto no que diz respeito às questões do dia-a-dia, quanto nas questões ligadas ao coração.

A próxima providência a tomar é fazer uma lista do que queremos, pensando nisso de forma profunda, não superficial. Essa lista é extremamente importante, portanto, precisamos ser honestos e bem específicos, pois a imprecisão só levará a resultados insatisfatórios. Gastar o tempo que for necessário para refletir profundamente sobre essa lista, é essencial.

Que tipo de pessoa nós estamos procurando? É preciso fazer uma lista dos fatores mais importante até chegar aos menos importantes. É importante que sejamos claros e precisos, pois será isso que nos colocará em ação e que magnetizará ou atrairá a pessoa ideal. Com isso, plantaremos as sementes e deixaremos que essas sementes criem raízes e cresçam, tomando a forma de um relacionamento.

Esse processo deve ser repetido até todas as suas preferências sejam explicitadas. Isso pode exigir algum tempo, mas certamente valerá à pena. Por isso, não há nada errado passar algum tempo conhecendo pessoas diferentes, até mesmo se envolvendo superficialmente com elas, antes de assumir um compromisso mais firme com alguém. Algumas pessoas podem cruzar o nosso caminho, antes que surja o relacionamento ideal, entretanto não podemos pensar que encontraremos a pessoa ideal já na primeira tentativa. Ir devagar e observar os rumos que o relacionamento toma, são providenciais. Antes de firmar um compromisso, é necessário gastar o tempo que for preciso para certificarmo-nos que estamos no caminho certo. Agindo assim, já colocamos o processo em ação e podemos confiar nele.



Entretanto não podemos nos perder, nem tão pouco nos iludir, pensando que ao encontrar alguém, tudo se resolverá. Pois o caminho para encontrar a felicidade na vida a dois é justamente caminhar lado a lado rumo à evolução de ambos. Um precisa ajudar ao outro neste percurso. Por isso cuidar dos nossos pilares constituídos pelos corpos físico, emocional, mental e espiritual é fundamental para mantermo-nos alinhado com os propósitos individuais de cada um. Lembremos sempre que uma relação saudável é aquela que se complementa. O que um precisa o outro tem para oferecer e vice-versa.

Outro ponto importante é “se olhar”, perceber como agimos, como somos. Isso pode ser feito imaginando que “nós não somos nós”, que nos observamos como se fôssemos outra pessoa. Como nos vemos? Somos bem humorados ou mal humorados? Somos calmos ou irritados? Negativos ou positivos? Ou seja, precisamos tratar aquilo que poderia comprometer nosso relacionamento, porque quando fazemos isso, é mais um sinal que mandamos para o Universo, avisando quem queremos atrair para nossa vida. Quanto mais buscamos a perfeição, em termos de emoções, sentimentos e pensamentos, mais próximos de encontrar alguém compatível com isso, nós estaremos.

Procurar ajuda e livrar-se de tudo que não é favorável numa relação a dois é importantíssimo! Muitas vezes achamos uma pessoa bonita, sorridente e com uma aparência iluminada e nem sabemos o porquê. Esta pessoa tem uma energia que reflete tudo isso, fisicamente ela pode não ser assim, mas energeticamente ela é. Portanto, estar de bem consigo, pode ajudar e muito a atrair alguém na mesma sintonia positiva. É como se pudéssemos refletir luz e beleza de forma profunda, não só superficial, como num rosto ou corpo perfeito.

Também não tem nada errado se produzir com roupas e artefatos que gostamos. Pois a maneira como nos vestimos, expressa como somos, por exemplo. Se nós somos desleixados com nossas vestimentas, isso já demonstra como agimos conosco e consequentemente com os relacionamentos. Portanto, procurar ajustar a aparência de modo que ela mostre como nós somos, ajuda a construir o que queremos refletir para o mundo.

É impossível esconder-se por detrás da aparência apenas física. Nem toda a maquiagem do mundo consegue encobrir as imperfeições que se revelam quando seus corpos emocional, mental e físico não estão em harmonia com as leis divinas e com o próprio estado de espírito.
E você, como anda resolvendo tudo isso? Reflita e mude o que for preciso.



Por Cátia Bazzan – Autora do Livro: Ame quem você é – Saiba que a melhor escolha é a

domingo, 24 de junho de 2012

Nunca tome decisões precipitad​as

Existiu um lenhador que acordava todos os dias às seis da manhã e trabalhava o dia inteiro cortando lenha. Só parava tarde da noite. 
Esse lenhador tinha um filho, lindo, de poucos meses, e também uma raposa, sua amiga, tratava ela como bicho de estimação e de sua total confiança. Todos os dias o lenhador saía para trabalhar e deixava a raposa tomando conta de seu filho. Todas as noites, ao retornar do trabalho, a raposa ficava feliz com a sua chegada. Os vizinhos alertavam o lenhador a toda hora. Diziam que a raposa era, afinal, um bicho, um animal selvagem e, portanto, não era confiável. Quando ela sentisse fome certamente iria comer a criança.
O lenhador, sempre retrucando com os vizinhos, falava que tudo isso era uma grande bobagem. A raposa era sua amiga, jamais faria uma coisa dessas.

Os vizinhos insistiam:

- Lenhador, abra os olhos! A raposa um dia ainda vai comer seu filho.
Quando sentir fome, comerá seu filho!
Um dia, muito exausto do trabalho e já cansado de tantos comentários, o lenhador chegou a casa e deu com a raposa sorrindo como sempre, mas desta vez com a boca toda ensanguentada.
O lenhador suou frio e, sem pensar duas vezes, acertou o machado na cabeça do animal.
Ao entrar, desesperado no quarto do filho, encontrou a criança no berço dormindo tranquilamente e, ao lado da caminha, uma cobra morta.
O lenhador enterrou o machado e a raposa juntos.

Se você confia em alguém, não importa o que os outros pensem a respeito; siga sempre seu caminho e não se deixe influenciar. E, principalmente, nunca tome decisões precipitadas.

sábado, 23 de junho de 2012

O Sapo e o Escorpião.



Certa vez, um escorpião aproximou-se de um sapo que estava na beira de um rio.
O escorpião vinha fazer um pedido: "Sapinho, você poderia me carregar até a outra margem deste rio tão largo?"
O sapo respondeu: "Só se eu fosse tolo! Você vai me picar, eu vou ficar paralisando e vou afundar."
Disse o escorpião: "Isso é ridículo! Se eu o picasse, ambos afundaríamos."
Confiando na lógica do escorpião, o sapo concordou e levou o escorpião nas costas, enquanto nadava para atravessar o rio. No meio do rio, o escorpião cravou seu ferrão no sapo.
Atingido pelo veneno, e já começando a afundar, o sapo voltou-se para o escorpião e perguntou: "Por quê? Por quê?"
E o escorpião respondeu: "Por que sou um escorpião e essa é a minha natureza."

sexta-feira, 22 de junho de 2012

Mente limpa, coração aberto, espírito puro: Falando sobre Obsessões.

            Essas seriam as condições ideais, os repelentes mais eficientes no combate as obsessões, sejam elas do plano mental/emocional ou espiritual. Por essa ótica podemos compreender que ninguém está imune a esse tipo de influência negativa, afinal mente limpa, coração aberto e espírito puro não é um estado de consciência que seja fácil de se conquistar, mesmo para as almas mais evoluídas.
       Esse comentário é necessário apenas para tentar simplificar esse tema tantas vezes debatido e imensamente pesquisado. Precisamos facilitar essa visão e compreender de forma mais profunda, em uma visão de contexto mais ampla. Quando compreendermos os mecanismos da obsessão, estaremos a um passo da conquista da tão sonhada, debatida ou falada: Proteção Espiritual. Por isso, antes de aprofundarmos o conteúdo, vamos propor uma observação; a mente confusa, o coração fechado e o espírito impuro são imãs que atraem processos obsessivos, de toda ordem. Logo, toda obsessão indica falha em nosso padrão vibratório, que é resultante do universo de pensamentos, sentimentos e emoções.
             Assim sendo, precisamos parar, refletir e olhar com novos ?Olhos? Para todos os casos de obsessão. Não existem vítimas! Não existem vilões! Apenas atração magnética entre obsessor e obsidiado.
             Nesse sentido, vamos tentar de forma rápida, refletir sobre o que é realmente uma pessoa espiritualizada.
             Uma pessoa espiritualizada é alguém com a consciência expandida, principalmente dotada da capacidade de equilibrar suas emoções, evitando confusões ou conflitos. Engano nosso nos considerarmos evoluídos porque já deciframos o Tao Te Ching, interpretamos o Bagavad Ghita ou decoramos a Bíblia Sagrada. Nenhumas dessas obras divinas terão seus propósitos alcançados se suas mensagens não conseguirem nos levar a maiores níveis de compreensão de nossa existência, e, principalmente a maior capacidade de equilíbrio emocional.
             Parece até estranho dizer, mas uma pessoa evoluída espiritualmente é alguém que domina suas inferioridades, torna-se equilibrada em suas emoções e consciente da missão de sua alma. Em resumo: é o indivíduo paciente, ponderado, que não julga, que sabe perdoar, que ajuda ao próximo, que não se fascina no mundo material, que faz sua parte para ajudar o Planeta a evoluir.
             Esse estado pode sim ser conquistado em uma igreja, templo, centro, etc. Todavia pode ser alcançado de forma autodidata, no contato com a natureza, na oração, na meditação.
             Nosso maior objetivo nesse texto é estimular que você possa ter aprendizados práticos na sua vida sobre essa questão. Poderíamos ficar definindo, exemplificando, explicando e até filosofando, contudo nossa meta é o aprendizado real e na realidade dos fatos, a vida, a física, os Grandes Mestres e tantas outras fontes nos mostram que: "semelhante atrai semelhante". 
             A sugestão é que sempre que a obsessão atingir alguém ao seu redor ou a você mesmo, que você não tenha foco apenas em "exterminar" o obsessor a todo custo. É importante que você compreenda o que em você o atrai. O que em você o aproxima? Quais afinidades existem entre você e ele (obsessor)?
             O maior aprendizado e a maior evolução teremos quando ignorarmos culpados, vilões, vítimas ou algozes. É preciso nos concentrarmos em nós, em um sentido profundo de reflexão consciente para detectarmos nossas falhas e melhorarmos nossa sintonia a cada dia.
           Lembre-se: mente limpa, coração aberto e espírito puro não atraem obsessões. Portanto, as influências perniciosas são geradas por impurezas de nossas almas, inegavelmente. Por essa visão podemos concluir: A obsessão é o indicador que avisa a necessidade latente de evolução.  

Por: Bruno J. Gimenes - Palestrante e Escritor

quinta-feira, 21 de junho de 2012

Fenômenos de Efeitos Físicos: Ectoplasma


O QUE É ECTOPLASMA?


a) Ectoplasma, para a ciência acadêmica, é a parte da célula que fica entre a membrana e o núcleo, ou a porção periférica do citoplasma.
b) Ectoplasma: Termo criado por Charles Richet. É uma substância que se acredita seja a força nervosa e tem propriedades químicas semelhantes as do corpo físico, donde provém. Apresenta-se viscoso, esbranquiçado (quase transparente, com reflexos leitosos) e é evanescente sob a luz. É considerado a base dos efeitos mediúnicos chamados "físicos", pois através dele os espíritos podem atuar sobre a matéria.
c) Entretanto, para os espíritos o ectoplasma é geralmente conhecido como um plasma de origem psíquica, que se exsuda principalmente do médium de efeitos físicos, e algo dos outros médiuns.
            Trata-se de substância delicadíssima que, situa-se entre o perispírito e o corpo físico. Embora seja algo disforme, é dotada de forte vitalidade, por cujo motivo serve de alavanca para interligar os planos físico e espiritual.
d) Historicamente o ectoplasma tem sido identificado como algo que é produzido pelo ser humano que, em determinadas condições, pode liberá-lo, produzindo fenômenos diversos.

CARACTERÍSTICAS DO ECTOPLASMA

            O ectoplasma é de difícil manipulação, é pegajoso, não se molda facilmente, por isso exige treinamento e técnicas para que os espíritos se utilizem deste fluido.
            Não é o espírito que se materializa e sim o ectoplasma que se adere a forma do perispírito do espírito.
            O ectoplasma sofre muito a influência da luz do dia e da luz branca, ocorrendo interferências no fenômeno, o ideal é utilizar uma luz de tom avermelhado.
            Pode ocorrer materialização sob o efeito da luz branca mas é necessário ter muito ectoplasma (em abundância), também é difícil tirar-se foto com flash de materialização, porque no momento do flash há interferência.
            Não é o ectoplasma puro que exala do médium que é usado diretamente nas materializações, é necessário combiná-lo com outros fluidos (espirituais, físicos (kundalini-material, líquido nervoso + líquidos do corpo do médium e da natureza), ou seja, na materialização é utilizado ectoplasma elaborado.
            A presença de apenas uma pessoa incrédula no ambiente dificulta ou até impede a aderência do ectoplasma no perispírito do espírito.



 
ECTOPLASMA É UMA COMBINAÇÃO DE FLUIDOS

            A palavra ectoplasma dá ideia de que se trata de algo único, mas na verdade é um grande conjunto, formado pela combinação dos fluidos do espírito com o fluido animalizado do médium e com os fluidos ambientes.
            Na obra “Nos Domínios da Mediunidade”, Áulus explica-nos o seguinte: “- Aí temos o material leve e plástico de que necessitamos para a materialização”.

            Podemos dividi-lo em três elementos essenciais, em nossas rápidas noções de serviço, a saber:
FLUIDOS A – representando as forças superiores e sutis da esfera espiritual;
FLUIDOS B – definindo os recursos do médium e dos companheiros que o assistem;
FLUIDOS C – constituindo energias tomadas à natureza terrestres.

            Os Fluidos A podem ser os mais puros e os Fluidos C podem ser os mais dóceis. No entanto os Fluidos B, nascidos da atuação dos companheiros encarnados e, muito notadamente, do médium, são capazes de estragar os mais nobres projetos.
Nos círculos em que os elementos A encontram segura colaboração de B, a materialização de ordem elevada assume a sublimidade dos fenômenos.

OS ESPÍRITOS NÃO PRODUZEM ECTOPLASMA

            Todos os estudos feitos, sobre as materializações de espíritos e os chamados “efeitos físicos”, demonstram que esses fenômenos ocorrem somente na presença de pessoas que podem fornecer ectoplasma.
            Isto leva à óbvia conclusão de que os espíritos não “produzem” ectoplasma. Eles apenas podem manipulá-lo.
            Uma observação mais cuidadosa leva, inclusive, à conclusão de que esta “manipulação” somente pode ocorrer com a conivência, consciente ou “inconsciente” dos encarnados que fornecem o ectoplasma.
 
            Se assim, não fosse, esses fenômenos ocorreriam com tal frequência e intensidade, no cotidiano da humanidade, que os desencarnados passariam a participar diretamente do mundo dos encarnados.
            Deste modo, pode-se deduzir que o ectoplasma é um atributo do corpo físico, portanto da matéria, uma vez que o corpo humano é material, embora seja controlado pelo espírito nele encarnado.
            O que se pode admitir que aconteça é que, os espíritos encarnados, em contato com a matéria (corpo), durante a encarnação, manipulam-na (a matéria) de tal modo a produzirem o que chamamos de ectoplasma.
            Essa produção se daria, de modo automático e inconsciente, desde a concepção até o desencarne.

OS TIPOS DE ECTOPLASMA



            Ora, se o ectoplasma está relacionado com a matéria que constitui o corpo humano, ele deve existir, também, nos minerais, nas plantas e nos animais em geral.
            Esse ectoplasma dos animais, dos vegetais e dos minerais não deve ser igual, em termos de “complexidade”, ao ectoplasma existente nos seres humanos.
            O ectoplasma mineral é, em princípio, o mais simples. Nos vegetais, que se alimentam principalmente de materiais inorgânicos, ele se apresenta de modo relativamente mais complexo, isso pode ser admitido uma vez que ele foi “trabalhado” por elas a partir do material inicial.
            Nos animais, que se alimentam de produtos minerais, vegetais e mesmo outros animais, o ectoplasma deve adquirir uma maior complexidade.
            Certamente em função da espécie de vegetal ou animal, haverá qualidades diferentes de ectoplasma.
            Esta dedução é fácil de ser feita, uma vez que, ao que se sabe, o ectoplasma não humano não é suficiente, ou adequado, para a realização de fenômenos físicos e de materialização.
            Se fosse, esses fenômenos ocorreriam livremente pela manifestação de espíritos desencarnados.
            Haveria interferência direta dos desencarnados no mundo dos encarnados, criando uma grande confusão.
            Hernani Guimarães Andrade, no seu livro “Espírito, Perispírito e Alma”, propõe a existência dos seguintes tipos de ectoplasma:
1. Ectomineroplasma, originário dos materiais minerais;
2. Ectofitoplasma, quando extraído dos vegetais;
3. Ectozooplasma, quando produzido pelos animais;
4. Ectohumanoplasma, quando produzido pelos humanos.

            Para efeito de simplificação de terminologia, no sentido de tornar o significado mais acessível às pessoas, podemos dizer apenas. Ectoplasma:
- mineral,
- vegetal,
- animal,
- humano.

O ECTOPLASMA É MATÉRIA?

PODEMOS DEFINIR MATÉRIA COMO:

- Tudo que é constituído pelos elementos químicos constantes da classificação periódica dos elementos químicos, além evidentemente dos próprios elementos e das partículas subatômicas.
- O que tem massa e energia, portanto o que estará sujeito à ação da gravidade, o que tem peso e, além disto, ocupa certo volume no espaço.
- O que pode interagir fisicamente com outras porções da matéria através das reações químicas.

ALGUMAS PROPRIEDADES DO ECTOPLASMA:

- Ele está sujeito à ação da gravidade terrestre e interage fisicamente com a matéria do corpo humano.
- Nas fotografias vemos o ectoplasma saindo da boca do médium, como se fosse panos.
- Os fatos de o ectoplasma cair na direção do solo e de o espírito materializado, a partir do ectoplasma, estar junto ao chão são evidências de que este fluido está sujeito à ação da gravidade terrestre.
- Alguns autores que já estudaram o ectoplasma, em trabalhos de materialização e de efeitos físicos, verificaram a ação da gravidade sobre o ectoplasma através do uso de balança.

PODEMOS CONCLUIR, PORTANTO, QUE O ECTOPLASMA É MATÉRIA!...PODEMOS?

            Este raciocínio nos leva a uma conclusão muito interessante: Parece haver alguma coisa que se comporta como se fosse uma matéria paralela à matéria que a química descreve. Em outras palavras, é como se houvesse outro conjunto de elementos químicos coexistente com os conhecidos ou previstos pela química. É como se fosse possível estabelecer, pelo menos, mais outra Classificação Periódica.
 


O ECTOPLASMA É UM COMBINADO DE SUBSTÂNCIAS?

            Quando os espíritos desencarnados podem dispor dele em bastante quantidade, então o utilizam para a produção de fenômenos mediúnicos de efeitos físicos, após combinarem-no com outras substâncias extraídas do reservatório oculto da natureza.

COMO SE APRESENTA O ECTOPLASMA?

            O ectoplasma apresenta-se à visão dos desencarnados como uma massa de gelatina pegajosa, branquíssima e semilíquida, que se exsuda através de todos os poros do médium, mas em maior proporção pelas narinas, pela boca ou pelos ouvidos, pelas pontas dos dedos e ainda pelo tórax.
            O ectoplasma, à feição do magnetismo, é energia disseminada e presente em toda a natureza que, por lei evolutiva, é mais apurada no homem do que no mineral, vegetal ou animal.                                                                   

COMO É PRODUZIDO O ECTOPLASMA NO SER HUMANO?

            Deduzindo que os espíritos encarnados, em contato com a matéria, durante a encarnação, produzem o ectoplasma, podemos, a partir daí, tecer algumas considerações:
a) Se admitimos a existência do ectoplasma nos minerais, nas plantas, nos animais, etc., podemos entender de que, um dos ingredientes que forma o ectoplasma é originário dos alimentos.
b) Outro ingrediente provem do oxigênio que respiramos.
c) Ainda há outro ingrediente que é produzido no interior das células do nosso corpo físico.

            O que ocorre é uma “transformação” desses ectoplasmas primários em ectoplasma humano.

            Podemos concluir que o ectoplasma encontra suas matérias primas nos fluidos resultantes da alimentação, da respiração e da atividade celular do nosso organismo físico.
            Agora, vem a questão, onde e quando ocorre o processo metabólico das reações químicas, físicas e biológicas entre os fluidos resultantes da alimentação, da respiração e da atividade celular que resultam no ectoplasma?

ONDE SE FORMA O ECTOPLASMA NO SER HUMANO?

            É difícil de afirmar com certeza, onde se forma o ectoplasma no ser humano.
A observação indica uma grande “movimentação fluídica” no abdome, na altura do umbigo.
            Considerando-se, a observação acima, alguns pesquisadores admitem que se forma ectoplasma no aparelho digestivo através do metabolismo dos alimentos no corpo humano.
            Outro lugar onde é comum se perceber que há uma quantidade grande de “movimentação fluídica” é no tórax. Para alguns estudiosos a produção de ectoplasma ocorre através da respiração (produzido no oxigênio).
            Como a “Ciência Acadêmica” admite que esse fluido se forma no interior das células, muitos estudiosos concluem que o ectoplasma se forme por todo o corpo, a nível celular, embora em quantidades e qualidades diferentes.
            O sangue pode carregar o ectoplasma até os pulmões, onde se libera para ser eliminado, da mesma forma que o carbono resultante do metabolismo.
            Entretanto, para os espíritos o ectoplasma trata-se de substância delicadíssima, que se produz entre o perispírito e o corpo físico e que serve de alavanca para interligar os planos físico e espiritual.
            Isto nos leva a deduzir que os fluidos resultantes da alimentação, da respiração e da atividade celular são carreados através dos chacras gástrico e esplênico e transformam-se em ectoplasma no interior do duplo etérico. Poderíamos chamar isso como uma espécie de “metabolismo do ectoplasma”.
            Vamos relembrar, não é o ectoplasma humano que exala do médium que é usado diretamente nas materializações ou nos fenômenos de efeitos físicos, é necessário combiná-lo com outros dois tipos de fluidos (espirituais e da natureza), para que obtenhamos o ectoplasma elaborado.

FENÔMENOS EFEITOS FÍSICOS - DUPLO ETÉRICO

O DUPLO ETÉRICO LIGA O ESPÍRITO AO CORPO FÍSICO

            Todo ser possui um “espírito”, que é o princípio inteligente do ser. Ele não tem forma determinada.
            Todo espírito é envolto num “corpo espiritual”, também conhecido com o nome de perispírito ou ‘corpo astral’.
            O corpo de carne de uma pessoa é “cópia” desse perispírito.
            No entanto, para promover a ligação entre os corpos de carne e o espiritual é necessário admitir-se a existência de outro corpo, que só os encarnados possuem, a esse corpo podemos chamar de duplo etérico.




RELAÇÃO DUPLO ETÉRICO COM O ECTOPLASMA

            O espírito é imaterial, no entanto, não é possível fazer essa admissão para o corpo espiritual, se ele possui forma, é porque é feito de algum tipo de matéria.
            No entanto, não deve ser feito de ectoplasma, pois neste caso, os espíritos desencarnados não necessitariam dos encarnados para o obterem.
            Assim, o duplo etérico, que existe apenas nos encarnados deve estar relacionado com o ectoplasma.

O DUPLO ETÉRICO SERIA FORMADO DE ECTOPLASMA?

            A hipótese mais provável é que o duplo etérico também seja constituído de uma espécie de matéria ectoplasmática.
            Deste modo, o ectoplasma acumulado pelas pessoas poderia ser aquele escretado pelo duplo etérico, isto é, aquele ectoplasma que não é necessário para sua constituição.

ONDE SE SITUA O ECTOPLASMA?

            Segundo André Luiz, o ectoplasma está situado entre a matéria densa e a matéria perispirítica, assim como um produto de emanações da alma pelo filtro do corpo (duplo etérico), e é recurso peculiar não somente ao homem, mas a todas as formas da Natureza.
            Este tipo de raciocínio indica, novamente, a existência de outra matéria, “paralela” à que conhecemos e o ectoplasma seria constituído por esta matéria.
            Esta matéria seria coexistente com a matéria conhecida, porém, de uma densidade muito menor.

O DUPLO ETÉRICO SERIA O RESPONSÁVEL PELA ELABORAÇÃO DO ECTOPLASMA?

            Em geral, nos trabalhos de efeitos físicos, o duplo etérico, ao se afastar do médium à sua esquerda, à altura do baço, torna-se um ponto de apoio para os espíritos desencarnados operarem com mais eficiência no limiar entre os mundos físico e o espiritual.
            O duplo etérico é o responsável pela elaboração de ectoplasma e pela coordenação e transferência de fluidos nervosos do médium utilizados nos fenômenos de efeitos físicos.
            É o mediador plástico e também o catalisador de energias mediúnicas, aglutinando-as de modo a servirem, ao mesmo tempo, entre o mundo físico e o plano oculto.

MATERIALIZAÇÕES PARCIAIS OU COMUNS

            Nos fenômenos de materialização completa o médium entra em transe cataléptico e o duplo etérico se separa do perispírito e nas materializações parciais não é necessário o médium entrar em transe cataléptico.
            Existem materializações que se apropriam somente do ectoplasma do médium, sem o envolvimento com o seu duplo etérico.
            Neste caso se conseguem materializações comuns ou parciais, porque não existe ectoplasma suficiente para a materialização completa, apenas é materializado alguma parte do Espírito, como mão ou pé.

MATERIALIZAÇÕES COMPLETAS OU SUBLIMADAS

            Existem materializações de espíritos que se apropriam do ectoplasma do médium através do envolvimento direto com o duplo etérico do médium.
            Neste caso o médium sempre estará em estado cataléptico.
            As materializações são sublimadas ou completas, porque aparece todo o Espírito.
            Para as materializações completas, onde aparecerá todo o espírito materializado é necessário grande quantidade de ectoplasma, neste caso é utilizado o próprio duplo etérico do médium para revestir o espírito que irá se materializar.

            A matéria ectoplasmática é metabolizada no interior duplo etérico do médium, passando em seguida ao aparelho digestivo do corpo físico do médium através dos chacras esplênico e gástrico. Depois sobe saindo pela sua boca nariz e ouvidos, então o duplo etérico do médium começa a atrair o ectoplasma que vai se aglutinando ao seu redor, igual a imã quando atrai limalha de ferro.
            Este se aglutina em volta do duplo etérico do médium formando uma espécie de escafandro emborrachado. O espírito que irá se materializar penetra dentro do duplo etérico do médium ficam como que um dentro do outro, e o duplo etérico do médium se transfigura adquirindo a forma do Espírito materializado.

ECTOPLASMA CONTAMINADO É DISSOLVIDO

            Acontece, às vezes, que os próprios técnicos e protetores do médium resolvem dissolver no meio do ambiente a porção fluídica que poderia enfermá-lo na sua reabsorção orgânica. Reduz-se assim a cota de líquidos orgânicos volatilizados e que se tornam nocivos a qualquer reaproveitamento, fazendo com que o médium, ao despertar sinta intensa sede e ingira certa quantidade de água para compensar a que é desperdiçada e que se faz necessária ao equilíbrio do seu corpo físico.

CUIDADOS PARA NÃO CONTAMINAR O ECTOPLASMA

            Os trabalhos de efeitos físicos exigem um cuidadoso tratamento por parte dos espíritos operadores, pois o ectoplasma do médium é elemento fácil de ser contaminado pelos miasmas e certas tóxicos que invadem o ambiente devido à imprudência ou descaso de alguns frequentadores dos trabalhos mediúnicos. Essa matéria viva do próprio médium pode ser empregada para fins proveitosos quando, por sua vontade, este admite a intromissão dos espíritos amigos e benfeitores; no entanto, caso se trate de criatura desregrada, os espíritos inferiores e malévolos podem assenhorar-se dessa energia acionável pela vontade desencarnada, causando perturbações nos trabalhos de efeitos físicos, ou mesmo fora do ambiente mediúnico.


FONTE:
LIVRO:  Espírito, Perispírito e Alma - HERNANI GUIMARÃES ANDRADE.

LIVRO:  Nos Domínios da Mediunidade - ANDRÉ LUIZ.