Páginas

sábado, 26 de abril de 2014

Os Espíritos constituem um mundo à parte, fora daquele que vemos?



“Sim, o mundo dos Espíritos, ou das inteligências incorpóreas.”

É comum ver alguns espíritas afirmarem que os espíritos errantes vivem apenas no espaço, nos mundos físicos, ao lado dos encarnados. Como podem ver na questão 84, 85 e 86, do Livro dos Espíritos, essa afirmação não está correta. Vamos ver porquê:

Segundo o Espiritismo existe apenas dois elementos gerais no universo, matéria e espírito, e acima de tudo Deus, o criador de todas as coisas. Deus, espírito e matéria constituem o princípio de tudo o que existe, a trindade universal. 

O fluido cósmico universal é a matéria elementar primitiva, cujas modificações e transformações constituem a inumerável variedade dos corpos da Natureza. Como princípio elementar de tudo que existe, ele assume dois estados distintos: o de eterização ou imponderabilidade, estado natural do mundo dos Espíritos, e o de materialização ou de ponderabilidade, estado que corresponde ao mundo corpóreo, material, ou seja, o mundo dos encarnados, o nosso Universo material, visível e tangível.

Desse modo, a diferença entre o mundo dos espíritos e o mundo dos encarnados está apenas no grau de modificação desse fluido. 

Imaginem, por exemplo, um oceano imenso, sem fim. Esse oceano seria o Fluido Universal, o fluido que constitui tudo que existe. Agora imaginem que em algum lugar desse oceano o Fluido Universal começou a condensar, compactar. Essa condensação deu origem ao mundo material tangível, o Universo físico onde nós estamos.

Observem essa imagem desse iceberg. O mundo material seria a parte formada pelo gelo, a parte condensada; e o mundo espiritual a parte não condensada, a água. Notem que se o gelo derreter ele volta a ser água, da mesma forma que se a matéria tangível perder suas propriedades de ligação atômica, volta para seu estado normal e se junta ao Fluido Universal.

A pureza absoluta, da qual nada nos pode dar ideia, é o ponto de partida do fluido universal; o ponto oposto é o em que ele se transforma em matéria tangível (Iceberg). Entre esses dois extremos, dão-se inúmeras transformações, mais ou menos aproximadas de um e de outro. 

Do ponto inicial de condensação ao ponto máximo de condensação forma o estado dos mundos físicos, tanto dos mundos mais superiores como dos mundos mais inferiores, como a terra. Os mundos superiores são os mundos mais próximos do estado normal e etéreo do Fluido Universal, ou seja, do seu estado Puro; e os mundos inferiores estão mais distantes, pois quanto mais distante mais condensado, mais material. 

Resumindo: Quando mais purificado é o mundo, mais ele se aproxima do estado puro de Fluido Universal, e quanto mais material, mais ele se afasta. Todos os mundos físicos, por mais grosseiros que sejam, um dia se tornará tão puro que sua massa se confundirá com o Fluido Universal, e um dia voltará ao Fluido Universal para dar origem à novos mundos materiais. 

O estado puro do Fluido Universal, o estado que não sofreu nenhuma transformação material, é onde vive os espíritos, isto é, é o mundo dos espíritos (L.E q.84). Na imagem acima, seria a parte líquida do Oceano. 

Mas os espíritos estão por toda parte, povoam infinitamente os espaços infinitos, isto é, tanto os mundos físicos como o mundo dos espíritos, pois é incessante a correlação entre ambos, uma vez que um sobre o outro incessantemente reagem, como podem ver na imagem do iceberg: como o gelo é formado de água, a água pode atravessar tudo, da mesma forma que toda a matéria física, tangível, visível é apenas o fluido Universal em seu estado condensado, que também atravessa tudo. Como os espíritos podem atravessar a matéria, nem todos, porém, vão a toda parte, pois há regiões interditas aos menos adiantados. Pois os Espíritos inferiores não podem suportar o brilho e a impressão dos fluidos mais etéreos.


Se o mundo corporal deixasse de existir, o que aconteceria era apenas a matéria tangível voltar para o seu estado normal, fluídico, como por exemplo, o Iceberg da imagem voltaria a ser água. Por essa razão que o Mundo dos espíritos preexiste e sobrevive a tudo, pois a matéria apenas mudaria de estado e voltaria a seu estado normal, não prejudicando em nada o mundo dos espíritos. 



84. Os Espíritos constituem um mundo à parte, fora daquele que vemos?

“Sim, o mundo dos Espíritos, ou das inteligências incorpóreas.”

85. Qual dos dois, o mundo espírita ou o mundo corpóreo, é o principal, na ordem das coisas?

“O mundo espírita, que preexiste e sobrevive a tudo.”

86. O mundo corporal poderia deixar de existir, ou nunca ter existido, sem que isso alterasse a essência do mundo espírita?

“Decerto. Eles são independentes; contudo, é incessante a correlação entre ambos, porquanto um sobre o outro incessantemente reagem.”

Nenhum comentário:

Postar um comentário