Chat


Get your own Chat Box! Go Large!
Tenham bom senso e responsabilidade com o que está sendo dito, com bom uso e principalmente, tendo em mente que TODOS deverão ser respeitados em suas diferenças, inclusive de opinião. Assim, nenhum usuário precisará ser bloqueado. O conteúdo da conversa, deve ser relacionado aos temas do blog.
É proibido o uso de nicks com nomes de Entidades, Cargos do Tipo Pai, Mãe, Ogan etc. ou Orixás, ou nicks considerados como insultuosos ou ofensivos.
É proibido insultar ou ofender qualquer utilizador deste chat. Respeite para ser respeitado.
Não informe dados pessoais na sala de chat, tais como E-mail,
Nº de telefone.
Esse tipo de informação deve ser em conversa privada com o membro, pois o Blog não se responsabiliza por quaisquer dano e/ou prejuízo.
Ao menos uma vez por semana, estarei presente e online para quem quiser conversar, compartilhar algo e/ou trocar idéias.

quarta-feira, 30 de setembro de 2015

Pai deixa eu ser da umbanda ?

Uma pequena menina, foi levada pela tia á um terreiro de umbanda numa festa de Cosme e Damião e lá vendo os guias manifestados, se encantou com aquele ambiente religioso. 
Chegando em casa ela falou com os pais assim: “Pai deixa eu ser da umbanda ?” 
O Pai e a mãe disseram: “De jeito nenhum, isso é coisa do diabo” 
E por toda a semana a jovem menina tanto insistiu que por fim os pais falaram: 
“Quer ser desta seita do diabo?, pode ser mas com uma condição, todo o culto que você for, quando você chegar em casa você vai tomar uma surra prá afastar estas “coisas ruins” que virão com você!” 
Então ela falou “Tudo bem, eu aceito”.
E assim começou o calvário daquela jovem menina, ia pro culto chegava em casa uma surra, ia pro culto novamente, chegava em casa, outra surra. 
Um dia sua tia que a levou ao terreiro lhe deu uma blusa e saia brancas para que se vestisse como todos na casa, neste dia a menina estava radiante e muito feliz com sua roupa branca, dançou e cantou várias cantigas na frente do altar sozinha e bateu cabeça ao seu Pai de Santo, que carinhosamente chamava de “Padrinho”, mesmo sabendo que apanharia de seu pai biológico quando chegasse em sua casa...

No término do culto o pai da menina chegou bêbado, pegou a menina pela mão e a espancou muito diante do terreiro e não satisfeito jogou-a no chão com força, desta forma, batendo a cabeça dela no meio fio e a machucando mortalmente. 
Prenderam o pai da menina, enquanto a tia e o Pai de Santo pegaram a menina e a colocaram em um banco, tiraram sua roupa branca e lhe enrolaram em lençóis, enquanto ela ameaçava perder a consciência, naqueles instantes, quando lhe voltava a consciência, ela falava:

”Padrinho cadê minha roupa branca?” 
O Pai de Santo já chorando lhe falou: 
“Esquece sua roupa branca minha filha, ela tá toda suja de sangue, fica firme, aguenta que os médicos estão chegando” 
As vezes ela apagava, as vezes se acordava de novo e falava: 
“Tia... Padrinho..., me dá a minha roupa branca, eu quero a minha roupa branca” ; e eles falavam: 
“Esqueça sua roupa branca filha, ela tá toda suja de sangue” ;e isso aconteceu umas cinco vezes; na quinta vez que aconteceu isso, a menina falou : 
“Padrinho, padrinho eu estou vendo oxalá ali em pé, e ele está me dizendo que vai me levar agora, por favor, por tudo o que é mais sagrado, me dá a minha roupa branca”

O Pai de Santo extremamente abalado foi lá dentro do terreiro, pegou a roupinha branca da menina toda ensanguentada e lhe entregou nas mãos, ela abraçou sua roupa branca com todo carinho, só de calcinha e foi fechando os olhinhos pela última vez nessa terra, nisto o Pai de Santo lhe perguntou 
“Mas por que você quer tanto essa roupinha branca minha filha?” 
E as últimas palavras da menina foram:
“Eu quero entrar com essa roupa branca suja de sangue no céu, pra mostrar prá Oxalá, que assim como um dia ele sangrou por mim, eu também sangrei por ele”.

terça-feira, 29 de setembro de 2015

Câncer Moral


O mau-humor sistemático - vício de comportamento emocional - gera a irritabilidade que desencadeia inúmeros males no indivíduo, em particular, e no grupo social onde o mesmo se movimenta, em geral.

Desconcertando a razão, açula as tendências negativas que devem ser combatidas, fomentando a maledicência e a indisposição de ânimo.

Todos aqueles que o alimentam, transferem-se de um para outro estado de desajuste orgânico e psicológico, dando margem à instalação de doenças psicossomáticas de tratamento complexo como resultados demorados ou nenhuns.

Todas as criaturas têm o dever de trabalhar pelo próprio progresso intelecto-moral, esforçando-se por vencer as más inclinações.

O azedume resulta, também, da inveja mal disfarçada quanto do ciúme incontido.

Atiça as labaredas destruidoras da desavença, enquanto se compraz na observância da ruína e do desconforto do próximo.

Muitas formas de canceres têm sua gênese no comportamento moral insano, nas atitudes mentais agressivas, nas postulações emocionais enfermiças.

O mau-humor é fator cancerígeno que ora ataca uma larga faixa da sociedade estúrdia.

Exteriorização do egoísmo doentio, aplica-se à inglória tarefa de perseguir os que discordam da sua atitude infeliz, espalhando a inquietação com que se arma de forças para prosseguir na insânia que agasalha.

Reveste-te de equilíbrio ante os mal-humorados e violentos, maledicentes e agressivos.

Eles se encontram enfermos, sim, em marcha para a loucura que os vence sob o beneplácito da vontade acomodada. 

Oscilantes nos estados dalma, mudam de um para outro episódio de revolta com facilidade, sem qualquer motivo justificável, como se motivo houvesse que justifique a vigência desse verdugo do homem.

Vigia as nascentes dos teus sentimentos e luta com destemor, nas paisagens íntimas, contra o mau-humor. 

Policia o verbo rude e ácido, mantendo a dignidade interior e poupando-te ao pugilato das ofensas, decorrente do azedume freqüente.

Não olvides da gratidão, nas tuas crises de indisposição...

O amanhã é incerto.

Aquele a quem hoje magoas será a porta onde buscarás apoio amanhã.

Conquista o título de pacífico ou faze-te pacificador.

Todo agressor torna-se antipático e asfixia-se na psicosfera morbífica que produz.

O Evangelho é lição de otimismo sem limite e o Espiritismo que o atualiza para o homem contemporâneo convida à transformação moral contínua, sem termo, em prol da edificação interior do adepto que se lhe candidata ao ministério.

Autor: Joanna de Ângelis 
Psicografia de Divaldo Franco. Do livro: Receita de Paz

segunda-feira, 28 de setembro de 2015

Cuide de sua Saúde

Nas atividades diárias, você encontra muita desatenção para com a saúde, vivida por gigantesco numero de pessoas.

Observando bem, com sinceridade, talvez você mesmo esteja incluso nesse número de indivíduos que desrespeitam os recursos do corpo físico, que o Criador lhes concedeu. 

Na lista das cotidianas agressões contra a saúde do corpo, você poderá deparar-se com:

•   o vício do tabaco, sob todos os nomes incentivado aqui e ali;

•  o vício da gastronomia, que costuma deformar o estômago, o corpo em geral, danificando as suas funções, sendo, não obstante, mal interpretado como “comer bem”;

•  o vício dos exageros de trabalho, submetendo o maquinário orgânico a excessos tais que em curto tempo dilapidam as energias somáticas, candidatando o veículo carnal a prematuro desgaste;

•   o vício do demasiado lazer, que leva a pessoa a desrespeitar a lei de trabalho, atirando-se ao extremo oposto, que leva o corpo orgânico à inação, ao desgaste pela inoperância a que é relegado por aqueles que tudo entregam ou negociam por uma hora a mais no leito, ou por um feriado a mais e outras providências pró-paralisia, em nome de um contínuo cansaço.

•  o vício dos regimes para emagrecer ou para engordar, sem qualquer necessidade em muitos casos, ou sem a orientação da Medicina e do Nutricionismo, provocando desastres que podem conduzir à falência do veículo corporal.

•   Cuide da sua saúde, sim, sem esquecer, no entanto, que o seu corpo físico é importante bênção a serviço da sua evolução no planeta, é um bendito talento para que, bem utilizando-o, possa galgar os passos da evolução que você persegue.

Evite, então, os exageros de quaisquer tipos. Não se permita padecer carências e distúrbios orgânicos sem que procure os cuidados médicos necessários, sem cultivar, contudo, a hipocondria que estabelece a mania neurótica de doenças, bombardeando as células com os dardos da mente perturbada.

Evite o uso indiscriminado desse ou daquele medicamento, por mais apregoado esteja, considerando as reações danosas que podem provocar no seu corpo.

Cuide bem da sua saúde, com todos os cuidados que ela exige, seja do alimento de boa qualidade e da dinâmica da boa ginástica, desde os descansos necessários até os remédios bem indicados pelo facultativo. Assim, aprenda a fazer tudo o que lhe seja importante com moderação, de modo a não desperdiçar as bênçãos do corpo.

Não olvide, porém, que o seu estado mental e a sua harmonia psíquica são fundamentais para o devido acionamento dos seus recursos corporais.

Então, procure manter a sua mente alimentada por tudo o que lhe seja útil, salutar, relaxante, retirando você das tensões nervosas, dos estresses, que têm sido tão comuns na vida de hoje, provocando, com distúrbios psico-emocionais, as disfunções somáticas, gerando enfermidades ao invés de manter a saúde.

Cuide-se, então.

Respeite esse talento bendito que o Criador lhe oferta na Terra.

Viva o seu dia-a-dia com essa visão de que você é o grande responsável por seu estado geral de doença ou de saúde, como o senhor de suas células corporais, como você sabe que é.

Meditação:“Amai, pois, a vossa alma, porém, cuidai igualmente de vosso corpo, instrumento daquela. Desatender as necessidades que a própria Natureza indica, é desatender a lei de Deus.” (ESE, Cap. XVII, item 11, segundo parágrafo)

      Retirado do Livro “Para Uso Diário”, Cap. 29, psicografia de Raul Teixeira, pelo espírito Joanes.

domingo, 27 de setembro de 2015

27 de setembro - Hoje é dia de Cosme e Damião



As crianças são a alegria que contagia a Umbanda. Descem nos terreiros como simbolo da pureza, da inocência e da singeleza. Os seus trabalhos resumem-se em brincadeiras e divertimentos. Podemos pedir-lhes ajuda para os nossos filhos, resolução de problemas, fazer confidências, mexericos, mas nunca para o mal, pois eles não atendem pedidos dessa natureza.

São espíritos que já estiveram encarnados na terra e que optaram por continuar sua evolução espiritual através da prática da caridade, incorporando em médiuns nos terreiros de Umbanda. Na maioria das vezes foram espíritos que desencarnaram com pouca idade (terrena), por isso trazem características da sua última encarnação, como o trejeito e a fala de criança, o gosto por brinquedos e doces.

Assim, como todos os servidores dos Orixás, elas também tem funções bem específicas, e a principal delas é a de mensageiros dos Orixás, sendo extremamente respeitados pelos caboclos e pelos pretos-velhos.

É uma falange de espíritos que se assume em forma e modos da mentalidade infantil. Como no plano material, também no plano espiritual, a criança não se governa, tem sempre que ser tutelada. É a única linha em que a comida de santo (Amalás), leva o tempero especial do açúcar. Nos terreiros são conhecidos pelos ERÊS ou IBEJI. 
Na representação nos pontos riscados, Ibeji é livre para utilizar o que melhor lhe aprouver. A linha de Ibeji é tão independente quanto à linha de Exú. Ibeijada, Erês, Dois-Dois, Crianças, Ibejis, são esses vários nomes para estas entidades que se apresentam de maneira infantil.

O Erê tem uma função muito importante. Como o Orixá não fala, é ele quem vem para dar os recados do pai. É normalmente muito irrequieto, barulhento, às vezes brigão, não gosta de tomar banho, e nas festas se não for contido pode literalmente botar fogo no oceano. 

Na Umbanda, mais uma vez, vemos a diferença entre as entidades/divindades. A Criança na Umbanda é apenas uma manifestação de um espírito cujo desencarne normalmente se deu em idades infanto-juvenis. São tão barulhentos como os Erês, embora alguns são bem mais tranquilos e comportados.

As Crianças da Umbanda tem os nomes relacionados normalmente a nomes comuns, normalmente brasileiros. Rosinha, Mariazinha, Ritinha, Pedrinho, Paulinho, Cosminho, etc...

As crianças de Umbanda comem bolos, gomas, refrigerantes, normalmente guaraná e frutas. Mas, isso não quer dizer que uma Criança de Umbanda não poderá comer outras coisas. Com uma Criança tudo pode acontecer.


Quando incorporadas num médium, gostam de brincar, correr e de muitas brincadeiras. É necessária muita concentração do médium (consciente), para não deixar que estas brincadeiras atrapalhem na mensagem a ser transmitida.
Os "meninos" são em sua maioria mais bagunceiros, enquanto que as "meninas" são mais quietas e calminhas. Alguns deles incorporam aos pulos e a gritar, outros descem a chorar, outros estão sempre com fome, etc... Estas características, que às vezes nos passam desapercebidas, são sempre formas que eles têm de exercer uma função específica, como a de descarregar o médium, o terreiro ou alguém da assistência.

Os pedidos feitos a uma criança incorporada normalmente são atendidos de maneira bastante rápida. Entretanto a cobrança que elas fazem dos presentes prometidos também é. Nunca prometa um presente a uma criança e não o dê assim que seu pedido for atendido, pois a "brincadeira" (cobrança) que ela fará para lhe lembrar do prometido pode não ser tão "engraçada" assim.
Poucos são aqueles que dão importância a estas giras por causa das vibrações infantis. A exteriorização da mediunidade é apresentada nesta gira sempre em atitudes infantis. O facto, entretanto, é que uma gira de criança não deve ser interpretada como uma diversão, embora normalmente seja realizada em dias festivos, e às vezes não consigamos conter os risos diante das palavras e atitudes que as crianças tomam.

Mesmo com tantas diferenças é possível notar-se a maior características de todos, que é mesmo a atitude infantil, o apego a brinquedos, bonecas, chupetas, carrinhos e bolas, com os quais se fazem as festas nos terreiros, com as crianças comuns que lá vão em busca de tais brinquedos e guloseimas nos dias apropriados. A festa de Cosme e Damião, santos católicos sincretizados com Ibeiji, acontece a 27 de Setembro é muito concorrida em quase todos os terreiros.

Uma curiosidade: Cosme e Damião foram os primeiros santos a terem uma igreja erigida para seu culto no Brasil. Ela foi construída em Igarassu, Pernambuco e ainda existe.
Os Erês não gostam de desmanchar demandas, nem de fazer desobsessões. Preferem as consultas, e em seu decorrer vão trabalhando com seu elemento de ação sobre o consulente, modificando e equilibrando a sua vibração, regenerando os pontos de entrada de energia do corpo humano.
Esses seres, mesmo sendo puros, não são tolos, pois identificam muito rapidamente os nossos erros e falhas humanas. 
Muitas entidades que atuam sob as vestes de um espírito infantil, são muito amigas e têm mais poder do que imaginamos. Mas como não são levadas muito a sério, o seu poder de ação fica oculto. São conselheiros e curadores, por isso, foram associadas a Cosme e Damião, curadores que trabalhavam com a magia dos elementos.

sexta-feira, 25 de setembro de 2015

Umbanda é Universalista?

 Muito se fala sobre o UNIVERSALISMO ESPIRITUAL e falam como sendo algo utópico, algo muito além e muito distante de nossa realidade. Mas será que o Universalismo Espiritual está tão distante assim? Para responder a isso precisamos primeiro saber o que é universalismo, então vamos lá! Universalismo: relativo à universal que pertence a todo o universo, ao cosmos; que se estende a tudo ou por toda a parte; comum a todos os homens; que é aplicável a tudo; que advém de todos; que não se atem a uma especialidade; que abrange por inteiro um campo de conhecimento; que universalismo é adaptável ou ajustável de modo que possa atender a diferentes necessidades; ecumênico. E agora, o Universalismo Espiritual está distante de nós? É claro que não! E, na minha opinião, ele é a essência da Umbanda.

A Umbanda é uma religião Universalista, onde não se admite racismo, preconceito ou intolerância religiosa. Ela está, assim como a própria representação de Oxalá, de braços abertos recebendo, agregando e amparando todo e qualquer espírito que queira evoluir e manifestar a Força de Deus. Na Umbanda manifestam-se espíritos vindos de todas as outras religiões e regiões do planeta: são hindus, árabes, judeus, budistas, cristãos, índios brasileiros, negros africanos e até grandes magos ou sacerdotes. Esses espíritos dotam-se de nomes simbólicos e são identificados perante as qualidades dos Orixás. Assim, vemos hoje na Umbanda, por exemplo, um antigo e sábio hindu se manifestando como um Caboclo, ou um renomado doutor se manifestando como um Preto-velho, ou ainda um grande mago ou sacerdote se manifestando como Exu, sem preconceito algum, apenas trabalhando e manifestando as qualidades e atributos específicos da Divindade Suprema – Deus - transcendendo todas as religiões espalhadas no plano material e sustentando a evolução de toda a humanidade de forma única e universalista.

A Umbanda surge aberta a toda e qualquer entidade que queira ou precise se manifestar, independente daquilo o que tenha sido em vida "todos serão ouvidos e nós aprenderemos com aqueles espíritos que souberem mais e ensinaremos os que souberem menos e a nenhum viraremos as costas e nem diremos não". Estas são palavras do espírito que se apresentou como Sr. Caboclo das Sete Encruzilhadas, fundador da Umbanda no plano material ao oficializar, em 1908, o primeiro centro umbandista, a Tenda Nossa Senhora da Piedade. E ele continua: "pois da mesma forma que Maria amparou nos braços o seu filho querido, também serão amparados os que socorrerem a Umbanda".

A Umbanda é uma religião Espírita, pois como define Alan Kardec, no Livro dos Médiuns: "Espírita, é aquele que crê no espírito e nas suas manifestações". Ou seja, todo aquele que acredita na manifestação de espíritos, segundo o próprio Kardec, é espírita! A Umbanda também é uma religião Cristã, pois a Umbanda acredita e aceita a existência de Jesus Cristo como o maior médium que já existiu, seguindo seus ensinamentos e seu mandamento maior: "Amar a Deus sobre todas as coisas e ao próximo como a um irmão, não fazendo a esse irmão aquilo que não queremos que façam conosco". A Umbanda nasceu em meio aos Cultos de Nação e ao Candomblé, mas cultua Orixá de forma diferente. No Candomblé os Orixás têm aspectos humanos, são relacionados a lendas e cultuados com grandes festas, com muita dança, canções e comida. Na Umbanda é uma heresia comparar Orixás a seres humanos tornando-os ruins e punitivos, justificando, assim, erros e desequilíbrios próprios do homem. Na Umbanda, Orixás são manifestadores dos Mistérios de Deus e em suas incorporações realizam todo um trabalho Divino em auxilio à comunidade. Resumindo, no Candomblé se cultua os Orixás e na Umbanda se "trabalha" com os Orixás.

Jêjes, Nagôs, Ketos, minas, bantos, indígenas, católicos, espíritas e muitos outros povos e religiões contribuíram com a Umbanda, não importando se creem em Orixás, Voduns, Nkisis, Pajés, Santos etc. Na Umbanda Espíritos de Luz não são eguns e não se apresentam como mentores ou doutores, mas sim como Guias Espirituais. Exus não são escravos, não trabalham fora da Lei Divina e obedecem a uma única ordem: a dos Sagrados Orixás, são espíritos de tanta luz e de tanta sabedoria quanto os Pretos Velhos ou Caboclos. Na Umbanda não se utiliza do sacrifício de animais e não é através do jogo de búzios que conseguimos respostas e conselhos espirituais. O Ritual da Umbanda é simples e até impressiona como se é realizado. A onipresença dos Sagrados Orixás é percebida por todos da corrente mediúnica e através dessa presença, do amor, da caridade, da bondade, da fraternidade, da dedicação, da disciplina e do estudo é que TUDO se realiza, atributos esses necessários a todos que queiram sentir e se beneficiar dessa Onipresença Divina.

Uma Umbanda esclarecida e estudada em conceitos universais é a união de todas as correntes astrais e de todas as linhas de pensamentos que têm norteado a humanidade e harmonizado todas as religiões. O médium que não entende a Religião de Umbanda como a mais ecumênica das religiões e que não respeita todas as outras religiões, não é um verdadeiro médium de Umbanda. Uma Umbanda esclarecida e estudada em conceitos universais é a melhor garantia de que um "papa" não criará seu trono particular dentro da Umbanda e que não ditará dogmas que assegurarão o domínio da fé e da mente de muitas pessoas.

A Umbanda é única, é o micro realizando o macro.
Axé a todos que conseguem trabalhar e aceitar a Umbanda sem distinção espiritual e como uma religião eclética e Divina.

segunda-feira, 21 de setembro de 2015

Cinco formas de relaxar


Sempre correndo para lá e para cá. Eu estou atrasado para o trabalho, eu tenho que entregar um relatório, eu deveria estudar para uma prova, eu tenho que preparar o jantar, eu tenho que levar as crianças para a escola… e a lista continua.

É por isso que o bem conhecido e popular “estresse” é o inimigo número um da sociedade de hoje. Parece que temos contado os minutos todos os dias e, por isso, o ritmo tão frenético e desesperado nos causa doenças e problemas. Ansiedade, depressão, nervosismo e dores musculares são apenas alguns exemplos.

Devemos “parar” um pouco e criar uma rotina de descanso e relaxamento. Não vai demorar muito tempo; é uma coisa boa e os resultados são garantidos e muito eficazes. Deixar de lado os problemas, as obrigações e a rotina diária para pensarmos, mesmo que apenas por alguns minutos, em nossa serenidade, em nossa paz e no nosso bem-estar, pode nos fazer muito bem. Não é difícil, apenas tente e relaxe!

Passos para relaxar e eliminar o estresse

1. Respire profundamente
Está provado que, em um momento de tensão total, um dia agitado no trabalho ou uma briga com seu parceiro, respirar profundamente e encher os pulmões ajuda no relaxamento de forma imediata. Experimente e veja. Encontre um lugar tranquilo e longe da agitação, onde os outros não irão interrompê-lo. Pode ser seu escritório, seu quarto ou um parque. Feche os olhos e inspire lenta e profundamente pelo nariz. Pense só no ar que está entrando em seu corpo. Uma vez que você sentir que encheu completamente os pulmões, segure por mais alguns segundos e libere, lentamente, o ar através da boca. Que não haja espaço para mais nada em sua mente, apenas para esse foco no ar que entra e sai de seu corpo. Um mínimo de vinte respirações devem ser realizadas com esta técnica a cada sessão. Faça uma pausa e repita o exercício. Faça isso quantas vezes for necessário até que você se sinta mais calmo. Para melhores resultados, em cada expiração diga mentalmente “Eu estou relaxado e nada me perturba.”

2. Imagine uma parede branca
Alguns dizem que uma tela também funciona. No mesmo local que você escolheu para o exercício anterior ou em outro local calmo, feche os olhos e imagine à sua frente a parede ou a tela branca, com suas imperfeições e detalhes. Concentre-se apenas nisso e a sua mente não terá espaço para mais nada. Isso vai ajudar a “quebrar” o ciclo de pensamentos ruminantes, como é conhecida a conversa constante do cérebro de acordo com os psicólogos.

3. Ouça uma música relaxante
Você mais do que ninguém sabe do que precisa para relaxar. Você conhece o ditado “a música acalma as feras”? Bem, nada mais perto da realidade. Um estilo suave e com poucas letras pode servir para liberar a tensão. Entre os estilos mais escolhidos, temos a música clássica, a música ambiente e também a new age. Encontre um som que lhe traga de volta a calma tão preciosa. Feche os olhos e concentre a sua atenção na música, entregue-se completamente a ela, imagine que você está sendo inundado com as notas musicais e comece a eliminar o estresse. Pense em um rio caudaloso, que arrasta tudo de ruim, ou nas nuvens do céu, que se dispersam até que o céu se torne completamente azul.

4. Desfrute da natureza
Estar em contato com a grama, com os pássaros, com o ar fresco, com as árvores, as flores, as borboletas e o mar é realmente algo muito relaxante. Isso não significa que você irá para a praia ou para o campo e ficará bem em um minuto; você tem que se “ajudar”. Quando for passar um dia em qualquer lugar ao ar livre, aproveite ao máximo. Note que muitas vezes você não tem essa oportunidade, de ficar longe dos edifícios de concreto da cidade, do tráfego, da poluição atmosférica, etc. Apenas não pense, por um momento, nos seus problemas, aprenda a apreciar a paisagem, o canto dos pássaros ou a brisa da noite, as ondas quebrando na areia, etc. Se você quiser fechar os olhos para se concentrar melhor, esta sua atitude será muito bem-vinda.

5. Tome um banho quente
Quando você chegar do trabalho cansado, depois de um longo dia, encha a banheira e coloque alguns sais. Acenda uma vela perfumada ou incenso e fique no banho por alguns minutos. Isso não vai apenas diminuir as suas tensões, mas também será um “mimo” para sua pele e cabelo. Você poderá combinar esta técnica com as outras sugeridas acima, tais como a respiração, a parede branca ou a música relaxante. Você vai sair do banho renovado. Algumas mulheres utilizam esta técnica para fazer tratamentos faciais, massagens, etc. Tudo isso lhe ajudará a prestar atenção no seu corpo e a deixar os problemas no escritório ou atrás da porta do banheiro.

Por último, não force. Se na primeira vez em que tentar estes exercícios você achar que eles não funcionam bem, repita no dia seguinte. No começo vai ser difícil se “desprender” dos seus problemas, até porque a mente é feita para “falar” o tempo todo. No entanto, com o decorrer do processo, você aprenderá a calar a sua mente nesses momentos de relaxamento que você tanto merece.

Autor: Rodrigo

domingo, 20 de setembro de 2015

50 conselhos para ser mais valente


Quando você era criança, com certeza você se identificava com algum super-herói que lutava contra os inimigos usando uma capa, uma espada ou um poder especial. Ou talvez acreditasse que o seu pai era quem poderia lhe salvar de todos os perigos.

Mas o que acontece quando crescemos? Deixamos de ser valentes? Sentimo-nos um entre mil e queremos passar despercebidos? Não fazemos justiça com as nossas próprias mãos, esperando que as leis nos ajudem?

Muito além de tudo isso, também é certo que, atualmente, é muito difícil ser valente. A timidez é a que ganha as batalhas e isso nos vai tirando pontos em nosso ranking da autoestima.

Socialmente falando, valorizam-se os valentes e insistem que os tímidos mudem a sua atitude.  Não é preciso lutarmos contra um vilão, um dragão que cuspa fogo ou um meteorito que poderá destruir o planeta.

Estarmos cientes do que nos acontece é suficiente (pelo menos para começar). A valentia não inclui somente atos heroicos, desses que saem nas notícias quando um homem resgata um bebê que cai no rio ou um bombeiro salva uma idosa que ficou dormindo com o fogão aceso.

Ser valente significa se arriscar, tentar algo novo, não ter medo que de que as coisas deem errado.

Como ser valente dia após dia?
Não é preciso que, a partir de agora, você se comporte como um personagem da Marvel ou da Liga da Justiça, e comece a vencer as gangues da sua cidade. Todos os dias você tem a capacidade de “ser um pouco mais valente”. Se for passo a passo, será muito mais simples.

Quer saber como? Então preste atenção aos próximos pontos. Não é necessário seguir uma ordem, mas acrescentá-los aos seus hábitos e não se esquecer dos restantes já aprendidos e colocados em prática. Está preparado?

1- Permita-se sentir

2- Deixe de lado os que falharam ou lhe decepcionaram

3- Olhe-se no espelho e destaque o positivo

4- Diga que ama alguém (se realmente o ama)

5- Pratique aquilo que você adora ou pelo qual é apaixonado

6- Escreva uma história própria, não somente a dos outros

7- Compartilhe as suas ideias, mesmo se forem malucas

8- Dê a sua opinião, mesmo que sejam diferentes

9- Por um dia, saia na rua de “cara lavada”

10- Permita-se errar

11- Confie nos seus sentidos e instintos

12- Tente fazer algo pela primeira vez

13- Coloque os limites com as pessoas, coisas e atividades

14- Comece algo que sempre se propõe a fazer

15- Cante no meio da rua (se desafinar, melhor)

16- Dance enquanto vai ao trabalho

17- Toque um instrumento (mesmo que nunca o tenha visto na vida)

18- Use Skate ou patins para fazer compras

19- Tolere o incômodo 

20- Cometa muitos erros

21- Diga “não sei”

22- Peça ajuda quando não puder fazer algo

23- Mostre-se vulnerável de vez em quando

24- Enfrente os problemas

25- Permita que o passado fique para trás

26- Tire fotos

27- Confie em uma ideia bem incoerente

28- Ajude um amigo que esteja em apuros

29- Despeça-se de uma relação abusiva e que não lhe faça bem

30- Dê adeus aos seus medos

31- Conte os seus pesadelos

32- Manifeste-se contra os danos

33- Não faça coisas que não queira

34- Não diga o que não sente ou não pensa

35- Vista-se sem considerar a moda

36- Dê o primeiro passo após uma briga

37- Dê uma flor ou um doce para um estranho

38- Não queira ter tudo sob controle

39- Ame a sua loucura

40- Pergunte a alguém como está e não lhe interrompa

41- Não reaja mal quando alguém lhe criticar

42- Abrace alguém que ama

43- Elogie-se dizendo coisas bonitas sobre você, suas conquistas e sua aparência

44- Não esteja sempre “cheio” ou “muito ocupado”

45- Seja aberto para coisas novas

46- Volte para o começo quantas vezes forem necessárias

47- Busque feedback com todos que lhe rodeiam

48- Seja como uma criança e divirta-se

49- Fale com essa pessoa que você gosta e que não tem coragem de convidar para sair

50- Peça uma reunião com o seu chefe e diga o que pensa

Lembre que ser valente não é não ter medo, mas saber de qual maneira pode-se superar o temor.

Por: Camila Pécsi

sábado, 19 de setembro de 2015

6 razões para o fracasso de um relacionamento amoroso


O principal motivo da maioria dos problemas dos relacionamentos humanos é a falta de reconhecimento mútuo.

O fracasso nas relações amorosas causa estresse e infelicidade. O interessante é que a maioria dos relacionamentos falha pelas mesmas razões. Conhecer essas razões é uma boa maneira de enfrentar os problemas e conseguir lidar com um relacionamento para torná-lo bem sucedido e duradouro.

Quer saber quais são as razões mais comuns para o fracasso de um relacionamento amoroso? Listamos abaixo algumas delas.

Cuidado com estas atitudes no seu relacionamento amoroso:

1- Os ciúmes
Pode parecer um pouco irônico, mas os ciúmes em muitos casos acabam com uma relação. Muitas vezes, não é somente o ciúme por insegurança de perder a pessoa amada, mas também inveja do seu sucesso. Portanto, é necessário saber aceitar o sucesso do outro, conviver com ele e desenvolver um relacionamento em um clima de confiança.

2-O apego
Uma coisa é o amor e outra o apego. O apego emocional é muito prejudicial em um relacionamento. Quando somos muitos apegados, precisamos da presença e da atenção constante da pessoa; isso nos leva a ser muito ciumentos e exigentes. O apego é baseado em um forte sentimento de insegurança.

Nesses casos, é necessário desenvolver a autoconfiança, acreditar em si mesmo e estar ciente de que não podemos depender do outro para viver bem. Os relacionamentos saudáveis precisam de um certo distanciamento.

3- O egoísmo
O egoísmo é a raiz de todos os problemas em um relacionamento. O egoísta pensa nele em primeiro lugar, ignorando as necessidades do outro e concentrando-se em seu próprio ego. Deseja reconhecimento e apoio constante, sem dar nada em troca. Não é fácil conviver com uma pessoa egocêntrica.

Devemos aceitar as pessoas como elas são, em vez  de esperar toda a sua atenção.

O verdadeiro amor é altruísta, dá sem esperar nada em troca.

 4- Focar nos defeitos do outro
Vivendo com uma pessoa descobrimos seus defeitos e fracassos. Os relacionamentos bem sucedidos, exigem uma certa tolerância com as fraquezas do outro. Se um dos parceiros focar somente nos defeitos do outro, quiser mudá-lo conforme o seu gosto, o relacionamento está fadado ao fracasso.

É claro que não podemos ignorar os erros o tempo todo, mas temos que ser tolerantes e conhecer bem o outro. O problema é que muitas pessoas focam somente nos defeitos e falam disso o tempo todo.

Se acredita que o outro pode mudar algum comportamento indesejado, converse e ajude-o nessa tarefa. Uma relação forte deve ser capaz de lidar com críticas e sugestões.

5- A dominação
É muito importante valorizar a liberdade de cada um. É inevitável que os problemas surjam quando um parceiro tenta dominar o outro. Esperamos que o outro seja como desejamos, e muitas vezes não percebemos que estamos agindo dessa forma.

Esquecemos que devemos amar uma pessoa real e não aquela que imaginamos. É muito fácil se apaixonar por uma ideia e é difícil descobrir que as coisas não são como imaginamos em nossos sonhos.

No entanto, ninguém tem o direito de dizer ao outro como deve viver, o que pensar ou como deve ser. Se a relação for baseada em uma expectativa ou dominação, inevitavelmente haverá conflito em algum momento. As relações devem se basear em compreensão mútua e permanecer livres de expectativas.

6- A falta de tempo
Muitas relações terminam porque um não dedica tempo suficiente ao outro. É inevitável que o outro se sinta negligenciado e esquecido. Se você não pode dedicar a esse relacionamento todo o tempo que gostaria, é importante reservar momentos especiais e intensos.

Isto não é para compensar a falta de tempo, mas sim para mostrar ao seu parceiro que ele é muito importante na sua vida.


Por: Marli Guári

sexta-feira, 18 de setembro de 2015

Se você deseja algo, deixe-o voar!


Se você quer pegar uma borboleta, quanto mais a perseguir, mais ela irá escapar de suas mãos; em contrapartida, se você a deixar livre, ela pode pousar naturalmente em seu ombro. Se aplicamos esta frase tão famosa à vida real, poderíamos compará-la às pessoas com tendência a pressionar os outros.

Quem persegue e pressiona muito costuma fazer com que as pessoas ao seu redor se afastem. Para comprovar este efeito, pense se você já teve alguma vez um amigo ou conhecido que o pressionasse de forma exagerada e, por isso, você preferiu perder o contato com ele(a).

Como regra geral, não gostamos de nos sentir obrigados a nada. Quando algo nos interessa, nós, por conta própria, vamos atrás. Insistir muito, seja no campo da amizade ou do relacionamento amoroso, frequentemente acaba levando as pessoas a quererem se afastar.

Por exemplo, imaginemos ter uma amiga com a qual costumamos ter contato frequentemente, mas por uma situação de muito trabalho, falta de tempo ou necessidade de individualidade, já não temos vontade de encontrá-la. É aí que nos damos conta do tipo de pessoa com a qual estamos nos relacionando.

Personalidade saudável e madura
Se você deixa de contatar alguém de quem gosta, este poderá insistir em retomar o contato, mas de uma forma que não restrinja sua liberdade. Uma maneira saudável de agir seria fazendo comentários do tipo: “O que você acha de tentarmos nos encontrar qualquer dia, já que faz muito tempo que não nos falamos?”, “Espero que você esteja bem. Vamos tentar conversar qualquer dia, sinto saudades”, “Como você está? Podemos marcar um café quando você puder”.

Esta forma de falar demonstra vontade de querer retomar o contato, mas sem pressões ou vitimismo. Se não houver resposta da outra parte, a pessoa deveria deixar a outra “voar”, pois está claro que, pelo motivo que seja, não há vontade ou tempo para retomar o contato. Quando uma personalidade saudável deseja contatar alguém e se dá conta de que não há correspondência, ela se afasta sem pressões ou aborrecimentos.

Respeitar a liberdade dos demais
Exemplos de frases que poderiam ser ditas por alguém que não respeita nossa liberdade, com a qual decidimos não seguir contato:

“Por que você não me escreve mais? Está chateado/a?”, “Faz tempo que não sei nada sobre você, não sei o que lhe fiz, mas você está me fazendo muito mal”, “Faz muito tempo que estou tentando marcar algo, mas você está sempre se esquivando”, “O que está acontecendo?”, “Não entendo esta atitude de me ignorar, temos que conversar urgentemente sobre isso”.

Dar a entender que existe um mal estar, cobrar explicações e insistir para conversar com urgência são pressões para tentar fazer o outro se sentir culpado quando, na realidade, os motivos pelos quais alguém deixa de manter contato podem ser múltiplos. Por isso, tirar conclusões precipitadas e pressionar não costuma dar bons resultados.

Pressionar causa um efeito negativo
Pressionar não segura ninguém, e inclusive pode fazer com que a pessoa queira se distanciar por ter uma sensação de perda de liberdade. Em contrapartida, aceitar a situação pode fazer com que a pessoa que se distancia volte quando tiver vontade. 

É o exemplo das boas amigas que nem sempre têm um contato muito frequente, mas que mantêm a amizade sem pressões e aceitam o espaço pessoal de cada uma, sabendo que são livres para se distanciarem quando precisam de solidão ou estão sem tempo. Esta liberdade de saber que a vontade de querer desconectar-se por um tempo não será tomada de forma negativa pelo outro é o que mais une as pessoas.

Quando sentimos que nossa maneira de agir é aceita,  é o momento em que as relações adquirem mais confiança, pois sentimos a liberdade de distanciar-nos sabendo que esta atitude é compreensível. Há alguém disposto a aproveitar a sua companhia quando possível, aceitando que nem sempre será assim devido a diferentes circunstâncias.

Se você gosta de alguém, deixe que esta pessoa voe em liberdade; deixe que a vida flua de forma natural e o tempo colocará cada coisa em seu lugar. A pessoa que é “para você” voará a seu lado por vontade própria, sem necessidade de pressões ou vitimismo.

A melhor receita para atrair pessoas que desejam desfrutar de sua companhia: deixar-se conhecer, mostrar o seu melhor, demonstrar seus interesses para que o outro dê o seguinte passo. Se houver sintonia, ótimo; se não, dê liberdade e vá em busca de outra borboleta. 

quinta-feira, 17 de setembro de 2015

Quando você menos esperar, tudo vai dar certo


“E quando você menos espera, quando pensa que tudo está indo pelo caminho errado, que sua vida programada até o último detalhe vai à falência, de repente, o inesperado acontece …”

Quando você menos espera, encontra forças dentro de si, se levanta e decide viver e começar a vencer. Porque depois da tempestade sempre vem a bonança; não há exceções a essa regra.

Quando você menos espera, se encontra, começa a ser quem você quer ser, faz o que quer fazer, para de se preocupar em não decepcionar os outros e vai para onde realmente quer ir. E aí percebe que tudo vai dar certo.

A maior prisão está em sua mente
Eu aprendi que o mundo quer que você seja rápido para que chegue a tempo. Quer que você seja veloz para se lembrar apenas do som de seus passos, e é por isso que quando você se lembra de que não está indo a lugar nenhum, acelera.

Devemos entender que o mais importante não é correr através da vida, mas caminhar calmamente, aprender com cada situação, por pior que ela seja. Porque cada evento tem alguma coisa para nos ensinar.

Todos sabemos que a vida é complicada, mas resistir ao “vai e vem” de nosso navio em alto mar é ainda mais complicado. No entanto, a verdade é que não há estradas intransitáveis, porque se tropeçarmos mil vezes, seremos obrigados a nos levantar mil e uma.

Um dia, de repente, começará a vencer as batalhas
“Cedo ou tarde, todas as peças acabam se encaixando. Enquanto isso não acontece, ria da confusão, viva o momento e compreenda que tudo acontece por uma razão”

Seja forte, resista e trabalhe para lutar sem medo, pois a dificuldade aumenta conforme você deixa de tentar. A vida é o que acontece hoje, não amanhã.

Dizem que o lado bom de chegar ao fundo do poço é que não podemos afundar mais, então tomamos impulso e subimos. A chave é olhar para cima com determinação, pisar firme e começar a subir.
Sempre podemos nos aventurar na parte mais funda da piscina, mesmo que ela não “dê pé”. Basta dar um impulso para chegar à superfície. Todos nós sabemos como fazer isto, é instinto de sobrevivência

O Sol sempre nasce!
“E de repente alguma coisa acontece, algo é acionado e, então, você sabe que as coisas vão mudar. E elas mudam. E a partir daí nada mais será o mesmo … NUNCA”

Sofremos mais do que o necessário por aquilo que não tem solução. Vivemos desejando estabilidade e a segurança, mas não nos damos conta de que nada é imutável: o construído cai, o amado deixa de amar, o possuído se perde…

Aceitar que as nossas vidas estão em constante movimento é a maneira mais fácil de ganharmos impulso e emergirmos para ver o sol. Magoamos os outros e eles nos magoaram, mas fomos capazes de curar essas feridas, fomos capazes de perdoar e fomos perdoados.

Tocar o fundo do poço nos dá muito medo, mas é importante que nos permitamos o colapso. A chave é não deixar o barco à deriva e não se conformar. O que é valioso é o que realmente conta, é onde colocamos o nosso coração.

Derrubar as maiores barreiras abre diante de nós um novo horizonte, e nos permite colocar outros óculos para contemplarmos a vida, enquanto continuamos subindo silenciosamente e deixando o abismo para trás.

Então, quando escutarmos o eco desesperado do vazio, a vida irá sussurrar e pedir que resistamos, pois seremos felizes e tudo vai dar certo; mas em primeiro lugar temos que ser fortes.

Federico Moccia

quarta-feira, 16 de setembro de 2015

Os sete sinais da maturidade emocional


“Maturidade emocional é perceber que não tenho necessidade de culpar ou julgar ninguém pelo que acontece comigo”

Normalmente, a maturidade é associada à idade e aos anos de experiência de vida cronológica. No entanto, quando se trata de maturidade emocional, a idade pode ter pouco a ver com isso. Muitas vezes a maturidade física chega antes da maturidade emocional.

Amadurecer significa entender que não existe amor maior do que o amor próprio, aprender e aceitar o que a vida nos apresenta e seguir adiante.

A maturidade emocional não surge do nada; exige trabalho, esforço, boa vontade e o desejo de olhar para dentro e se conhecer melhor, com a cabeça e o coração em perfeita sintonia. Amadurecer significa encarar a realidade como ela é, muitas vezes bem mais dolorosa do que gostaríamos.

Aqui estão sete características das pessoas emocionalmente maduras.

1- Sabem dizer adeus
A maioria de nós sente muito medo, principalmente quando se trata de soltar as amarras e deixar a vida fluir.

Pensar que o passado foi melhor é muito doloroso; nos impede de soltar e deixar ir.

As pessoas emocionalmente maduras sabem que a vida fica muito melhor quando é vivida em liberdade. Então, deixam ir o que não lhes pertence, porque entendem que ficar preso ao passado nos impede de fechar ciclos e curar nossas feridas emocionais.

2- Conseguem olhar para o seu passado emocional sem dor
Limpar a dor do nosso passado é absolutamente necessário para avançarmos em nosso caminho emocional. As ervas daninhas crescem rapidamente; se não limparmos nosso caminho, não veremos o que está próximo.

As pessoas emocionalmente maduras sabem da importância de viver no presente, superando e aceitando o que passou. O que aconteceu, já aconteceu; não podemos mudar. Aprenda com os erros e siga em frente.

Se perdermos o contato com o nosso interior, não nos afastamos dele, mas permitimos que o negativo do nosso passado interfira na nossa vida presente. Isso é muito doloroso.

  “É por esse motivo que, quando tivermos aprendido o suficiente sobre a nossa dor, perderemos o medo de olhar para dentro e curaremos nosso passado emocional para avançar mais um passo na vida”.

3- Têm consciência do que pensam e sabem
A maturidade emocional nos ajuda a entender melhor nossos próprios sentimentos e os dos demais. As pessoas emocionalmente maduras se esforçam para escrever e pensar sobre as suas opiniões ou sobre como se sentem.

“Amadurecer é ter cuidado com o que diz, respeitar o que ouve e meditar sobre o que pensa”.

A clareza mental das pessoas maduras contrasta com a preguiça e o caos mental das pessoas imaturas. Portanto, a maturidade emocional ajuda a resolver problemas cotidianos de forma eficaz.

4- Não reclamam de nada
Parar de reclamar é a melhor maneira de promover mudanças.

As queixas podem nos aprisionar em labirintos sem saída. As pessoas emocionalmente maduras já aprenderam que somos o que pensamos.  Se você agir mais e reclamar menos, significa que está crescendo emocionalmente.

Quer viver infeliz? Reclame de tudo e de todos.

5- Conseguem ser empáticas, sem se deixar influenciar pelas emoções alheias
As pessoas emocionalmente maduras têm respeito por si mesmas e pelos outros. Têm habilidade para se relacionar da melhor forma possível com os demais; sabem ouvir, falar e trocar informações. Aprenderam a olhar de forma generosa para o outro; todos nós temos valores diferentes, mas queremos ser aceitos e felizes.

6- Não se castigam pelos seus erros
Aprendemos com os nossos erros; falhar nos permite enxergar os caminhos que não devemos seguir.

As pessoas maduras não se punem por possuírem limitações, simplesmente as aceitam e tentam melhorar. Sabem que nem sempre tudo acontece como queremos, mas cada erro é uma boa oportunidade para o crescimento pessoal.

7- Aprenderam a se abrir emocionalmente
As couraças emocionais pertencem ao passado. É muito importante ter comprometimento, amor, autoconfiança e acreditar nas pessoas. Não seja perfeccionista e nem espere a perfeição dos outros. Esqueça as desavenças e perdoe, inclusive a você mesmo.

“Desfrute do tempo compartilhado da mesma forma que desfruta do tempo sozinho”.

Maturidade emocional é assumir o controle da sua vida, ter sua própria visão de mundo e ambição para a sucesso. Ao desenvolver a maturidade emocional a vida torna-se um prazer, e não uma obrigação.

terça-feira, 15 de setembro de 2015

7 frases budistas que vão mudar a sua vida


Muitos de nós costumamos nos referir ao budismo mais como uma filosofia de vida do que como uma religião. O budismo é uma das religiões mais antigas que existem, e ainda é praticada por cerca de 200 milhões de pessoas em todo o mundo. 

Qual é o segredo desta filosofia?
A simplicidade de como são transmitidas mensagens cheias de sabedoria, que permitem realmente melhorar nossa qualidade de vida, é o que faz com que essa filosofia ou religião perdure ao longo do tempo e continue ganhando seguidores.

Para entendê-la e abraçar seu verdadeiro significado, não precisamos nos tornar seguidores da religião. Somente precisamos abrir nosso coração e nossa mente, mantendo sempre a esperança.

Hoje apresentamos a vocês as melhores frases budistas que vão mudar a sua vida:

– A dor é inevitável, o sofrimento é opcional. Levando em consideração que as pessoas só podem nos machucar se souberem ao que damos importância, evitar o sofrimento inútil pode consistir, simplesmente, em dar um passo para trás, em se desligar emocionalmente e ver as coisas sob outra perspectiva.

Isso requer prática e tempo, mas vale a pena carregar consigo este grande aprendizado. Como guia, outra frase budista nos dá uma pista de como começar: “Tudo o que somos é resultado do que pensamos; está baseado em nossos pensamentos e está feito deles”.

– Alegre-se porque todo lugar é aqui e todo momento é agora. Costumamos pensar apenas no passado ou estar excessivamente preocupados com o futuro. Isso nos impede de viver o momento e faz com que nossas vidas passem sem que tenhamos consciência disso. O budismo nos mostra o aqui e o agora. Portanto, devemos aprender a estar plenamente presentes e desfrutar cada momento como se fosse o último.

– Cuide de seu exterior tanto quanto cuida de seu interior, pois tudo é um só. Para encontrar um verdadeiro estado de bem estar, é imprescindível que a mente e o corpo estejam em equilíbrio. Não nos concentrar muito no aspecto físico e, reciprocamente, no aspecto interior, nos ajudará a nos sentir mais plenos e conscientes do aqui e do agora, facilitando, assim, uma plenitude emocional mais valiosa.

– Vale mais a pena usar chinelos do que cobrir o mundo com tapetes. Para encontrar nossa paz interior, precisamos ser conscientes dos nossos potenciais pessoais e aprender a dosá-los, assim como nossos recursos. Desta forma, viveremos um verdadeiro crescimento e evolução.

– Não machuque os outros com o que te causa dor. Essa frase é uma das máximas do budismo, e nos permite eliminar quase todas as leis e mandamentos morais atuais em nossa sociedade. Tendo um significado parecido com o da frase “não faça com os demais o que não gostaria que fizessem com você”, esta quinta reflexão vai muito além, já que consiste em um profundo conhecimento de nós mesmos e numa grande empatia para e com os demais.

– Não é mais rico aquele que mais tem, senão aquele que menos necessita. Nosso desejo de ter sempre mais, tanto no plano material, como no emocional, é a principal fonte de todas as nossas preocupações e desesperanças. A máxima do budismo se baseia em aprender a viver com pouco e aceitar tudo aquilo que a vida nos dá no momento. Isso nos proporcionará uma vida mais equilibrada, reduzindo o estresse e muitas tensões internas.

O fato de desejar mais coisas a todo o tempo indica somente falta de segurança, e mostra que nos sentimos sós e que precisamos preencher estes vazios. Sentirmo-nos a vontade com nós mesmos nos permite deixar para trás a necessidade de não ter que demonstrar nada.

– Para entender tudo, é preciso esquecer tudo. Estamos, desde pequenos, imersos numa contínua aprendizagem. Na infância, nosso mapa mental ainda não está desenhado, o que nos faz sermos abertos a “tudo” e à capacidade de entender qualquer coisa, pois não sabemos julgar.

Mas a medida em que crescemos, nossa mente se enche de restrições e normas sociais que nos dizem como devemos ser, como devem ser as coisas, e como devemos nos comportar, inclusive o que devemos pensar. Nos tornamos inconscientes de nós mesmos, então nos perdemos.

Para mudar e ver as coisas sob uma perspectiva mais saudável para nós, precisamos aprender a nos desligar das crenças, dos hábitos e das ideias que não provêm do nosso coração. Para isso, esta frase budista servirá para começar o processo: “No céu não há distinção entre leste e oeste, são as pessoas quem criam essas distinções em sua mente e então acreditam ser a verdade”.